CONSTRUÍMOS
NOTÍCIA
sexta-feira, 22 de janeiro de 2021
Internacional
Oferta de arrendamento dispara em Madrid e Barcelona, preços baixam

Oferta de arrendamento dispara em Madrid e Barcelona, preços baixam

13 de janeiro de 2021

O ano de 2020 findou em Espanha que uma profunda mudança no mercado da habitação: nas duas maiores cidades do território espanhol, a oferta de arrendamento aumentou 133% e 155% em Madrid e Barcelona, respectivamente.

Consequência deste aumento inusitado da oferta, as duas cidades conheceram uma diminuição do preço das rendas que caíram 7% em Madrid e 9% em Barcelona.

Os dados divulgados pelo periódico Cinco Dias que cita fontes do portal Idealista. Que refere: “na capital, das cerca de 13.000 habitações em oferta para arrendamento no início do ano passado chegou-se às 30.000 no final do exercício”. Em Barcelona, o salto foi de 10.000 para as 22.000 habitações para arrendamento.

Segundo o periódico, o fenómeno também ocorreu em outras cidades de Espanha, casos de Sevilla, Málaga ou Valencia, con aumentos 169%, 143% 119%, respectivamente.

Os impactos do fenómeno teve, naturalmente, reflexo nos preços praticados no mercado. A quebra a pique no turismo de curta e longa duração, o confinamento dos universitários nas suas residência com ensino à distância e o teletrabalho contribuiram para agudizar a quebra da procura.

Embora o rendimento médio de arrendamento senha fechado o ano com um ligeiro aumento de 1,4%, a verdade é que “os valores nos mercados de arrendamento mais dinâmicos encerraram 2020 com quedas históricas, de acordo com o relatório de preços de arrendamento do portal Idealista. No topo ficou Barcelona, ​​com um decréscimo ano-a-ano de 9,4%, seguido de Madrid (-7,3%), Palma de Maiorca (-6,2%), Málaga (-5,6%) e Sevilha (-5,2%).

PUB
TURISMO
Metade dos europeus planeia viajar já este semestre
19 de janeiro de 2021
ARRENDAMENTO
Candidaturas ao apoio às rendas arrancam em 4 de Fevereiro
15 de janeiro de 2021
PUB
PUB
INTERNACIONAL
Bancos da zona euro restringiram concessão de crédito no 4.º trimestre - BCE
19 de janeiro de 2021
PUB