CONSTRUÍMOS
NOTÍCIA
domingo, 15 de dezembro de 2019
Escritórios

Regus reflecte já sobre o trabalho até aos 100 anos!

16 de setembro de 2019

Viver cada vez mais tempo afecta, naturalmente, “a forma de trabalhar, de aprender e de viver, sendo necessária uma adaptação dos funcionários a essas mudanças”. A Regus — um dos maiores fornecedores mundiais de soluções de espaços de trabalho flexíveis — vem reflectindo sobre a questão, que se apresenta não tão visionária quanto isso… “O papel das empresas e dos directores de Recursos Humanos é fundamental na criação de ambientes de trabalho que reconheçam e maximizem o potencial da vida até aos 100 anos” - afirma a multinacional de espaços de escritórios.

 

Horizonte de vida continua a expandir-se...

Jorge Valdeira, Country Manager da Regus em Portugal, acredita que "a expectativa de vida global está a crescer com a taxa mais rápida desde a década de 1960. Hoje, um jovem de 20 anos tem 50% de oportunidade viver até aos 100. Um individuo de 60 anos, pode ter igual oportunidade de chegar aos 90. Uma vida mais longa pode ser um presente mas também tem implicações na forma de viver e, em particular, como planeamos trabalhar e financiar esses anos extras."

 

A vida não é só trabalho...

A ideia agora gerada de que é possível trabalhar até aos 80 anos apresenta uma série de problemas para a vida em três etapas, refere a Regus: um período de educação no início de sua vida pode não ser suficiente para sustentar uma carreira por tanto tempo; a aposentadoria aumentou de cinco anos para algo mais próximo de 20 e, por fim, trabalhar oito horas diárias, cinco dias por semana, durante 50 anos, pode afectar a saúde e o bem-estar dos colaboradores.

O papel dos departamentos de Recursos Humanos — acrescenta a multinacional — deve ser o de incentivar comportamentos saudáveis ​​e saber-se afastar trabalho para relaxar e passar tempo com a família e os amigos.

"As empresas também não devem ter medo de incentivar os funcionários a gastar tempo fora do trabalho para treinar e aperfeiçoar. Isso ajudará a evitar que as pessoas sejam deixadas para trás pelos avanços tecnológicos no local de trabalho e também irá ajudar a suprimir lacunas actualmente enfrentadas por alguns sectores.", acrescenta Jorge Valdeira.

A longevidade já fez mudanças significativas no mundo do trabalho, por isso assistimos a um número crescente de pessoas que mudam de carreira, e um local de trabalho flexível tem cada vez mais um papel vital, na medida em que evita o desgaste, a redução do tempo de deslocação para o trabalho e, consequentemente, aumenta o equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal.

 

PUB
ARRENDAMENTO
Já é possível concorrer a uma Casa de Renda Acessível em Lisboa
12 de dezembro de 2019
PUB
PUB
PUB