CONSTRUÍMOS
NOTÍCIA
quarta-feira, 22 de janeiro de 2020
Actualidade

Sintra: novo PDM consagra 902 hectares a parques urbanos

6 de dezembro de 2019

A Assembleia Municipal de Sintra aprovou o novo Plano Director Municipal (PDM), que reduz em 4% a área urbana (passível de construção), e aumenta os espaços dedicados às actividades económicas que passam a representar 20% do solo urbano, prevendo ainda a criação de 902 hectares de uma rede de parques urbanos.

O presidente da Câmara Municipal de Sintra, Basílio Horta (PS), referiu que “o novo PDM pretende contribuir para um território ordenado, harmonioso e diversificado que promova o desenvolvimento económico sustentável, e a valorização dos espaços que o compõem reforçando a sua identidade e melhorando a qualidade de vida das populações”.

O novo PDM vai implicar a redução da área de construção no município de Sintra. No anterior PDM (1999) 32% do território era classificada como solo urbano, enquanto no actual esse número tem uma redução de 4%, passando para 28% - refere o executivo da autarquia em comunicado.

O PDM encara com particular atenção “a preservação de valores naturais e florestais com o aumento dos espaços naturais e florestais em 22% fase ao anterior (1999)”.

A categoria de espaços florestais passa de uma afectação de 4% para 15%, o que representa um expressivo aumento destas áreas, contribuindo, sobremaneira, para o equilíbrio e consolidação do sistema ecológico e produtivo – diz a autarquia sintrense.

 

PDM: “um alicerce para o amanhã”

O PDM contempla 4 grandes parques urbanos, com um total de 902 hectares. São abrangidos os espaços entre as cidades englobando a qualificação das principais ribeiras e aproveitando territórios abandonados, mas susceptíveis de serem devolvidos às populações como espaços de fruição e lazer.

“Já o solo rústico — adianta ainda a edilidade da Área Metropolitana de Lisboa — aumenta 6% em relação ao anterior PDM (1999), cifrando-se em cerca de 72% do território. Destacam-se os espaços destinados à salvaguarda de valores e recursos naturais com 42% do solo rústico. A expressão dos espaços agrícolas é significativa, ocupando cerca de 33% do solo rústico”.

O plano prevê ainda “a revitalização dos parques empresariais com um investimento estimado em 15 milhões de euros”. São definidas 8 unidades operativas de planeamento e gestão dedicadas à regeneração e reabilitação das áreas industriais e empresariais, contribuindo para a sua qualificação e atractividade, e que serão alvo de forte investimento.

“Mais do que um simples documento, este PDM, é o alicerce onde assentará o nosso amanhã”, afirma o autarca Basílio Horta.

PUB
ARRENDAMENTO
Rendas em Lisboa caem pela primeira vez desde 2016, desceram 1,4%
15 de janeiro de 2020
PUB
PUB
PUB