CONSTRUÍMOS
NOTÍCIA
quarta-feira, 20 de novembro de 2019
Turismo

Quartel da Graça vai ser um 5 estrelas do Grupo Sana

22 de outubro de 2019

O Grupo Sana foi o vencedor do concurso para reabilitação e exploração do Quartel da Graça no âmbito do Programa REVIVE. O Grupo vai investir 30 milhões de euros na transformação do quartel numa unidade hoteleira com a categoria de 5 estrelas

Segundo a Secretaria de Estado do Turismo, a proposta vencedora do concurso corresponde a uma renda de 1,79 milhões de euros anuais referentes à instalação de um hotel de 5 estrelas que contará com 120 quartos, estando a abertura do novo hotel prevista para o final de 2022.

Classificado como Monumento Nacional desde 1910 o Quartel da Graça localiza-se no cume de uma das sete colinas de Lisboa, com vista privilegiada para a cidade. Foi fundado, enquanto Convento da Graça, no século XIII pela Ordem dos Agostinhos Eremitas, tendo sido reedificado no século XVI e restaurado após o terramoto de 1755.

Com a extinção das ordens religiosas, em 1834, foi ocupado pelo Exército, passando nesse momento a designar-se de Quartel da Graça. Nos últimos anos, o Quartel acolheu serviços da GNR e do Exército.

Com o Quartel da Graça, que possui uma área bruta total de construção de 15.495,25 m², passam a ser 10 os imóveis adjudicados ao abrigo do Programa Revive, o que representa um investimento de 100 milhões de euros.

Até ao momento foram lançados concursos relativos a 19 imóveis no âmbito do Revive. Actualmente, estão abertos os concursos para a concessão do Mosteiro de Lorvão, em Penacova, do Forte da Ínsua, em Caminha, do Mosteiro de São Salvador de Travanca, em Amarante, e do Paço Real de Caxias, em Oeiras.

Para o ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, “a adjudicação do concurso relativo ao Quartel da Graça demonstra que o Programa Revive torna possível dar novo uso ao património público, ultrapassando todas as dificuldades históricas associadas a estes processos. Este imóvel será um factor de geração de riqueza e de criação de emprego na cidade de Lisboa”.

PUB
ARRENDAMENTO
Englobamento obrigatório para rendimentos prediais terá “efeito perverso” no mercado – diz APEMIP
14 de novembro de 2019
PUB
PUB
PUB