CONSTRUÍMOS
NOTÍCIA
segunda-feira, 28 de setembro de 2020
Opinião
A Construção e a Gestão de Projetos em Portugal

A Construção e a Gestão de Projetos em Portugal

17 de agosto de 2020

O setor da construção e imobiliário é um dos mais importantes drivers da economia portuguesa, contribuindo para mais de 15% do PIB, cerca de 50% do investimento e 10% do emprego. O investimento público e privado, nomeadamente em projetos complexos e de larga escala, tem representado uma crescente exigência de requisitos a cumprir, que reclamam standards e qualificações adequadas para a sua gestão.

Por outro lado, a construção é uma indústria altamente fragmentada e com várias questões ao nível da produtividade, qualidade, segurança, mão-de-obra, inovação e desenvolvimento, pelo que as empresas portuguesas devem incrementar a sua proposta de valor adotando estratégias de diferenciação significativas, eficazes e sustentáveis, para as quais o investimento, a formação e a qualificação são fatores chave.

À luz do investimento estrangeiro em ativos imobiliários e objetivando o sucesso dos projetos, a tendência tem sido para os clientes procurarem soluções integradas de gestão, desde a fase de consultoria até à entrega final do projeto, recorrendo a entidades independentes, especializadas e certificadas, com experiência local. De entre os tradicionais vetores da gestão de projetos (“the project management double triangle” - âmbito, custos, prazos, recursos, qualidade, risco), assegurar o melhor value for money, os limites orçamentais, e a adequada identificação e análise dos riscos tem assumido crescente relevância para a gestão dos projetos de construção.

Por definição, os gestores de projeto devem acompanhar todo o ciclo de vida do projeto, promovendo a integração da sua cadeia de valor. Contudo, tipicamente estão mais envolvidos nas fases de pré-construção ou construção, sem participação relevante nos estudos de viabilidade e na pós-construção. Tal propicia falhas de continuidade e previne a aplicação homegeneizada de processos nas várias etapas do projeto, conduzindo frequentemente a ciclos de vida adaptativos, ou seja, em que são fixados custos e prazos, mas o âmbito é definido à medida que o projeto avança.

Os gestores de projetos de construção são em grande número engenheiros civis com formação complementar em gestão, o que, embora por princípio possa ser apropriado, não prescinde da adequada experiência em projeto e construção e do entendimento sobre as funções necessárias para desempenhar o seu papel como gestores de projeto.

A diversidade de projetos e stakeholders na cadeia de valor da construção, juntamente com a escassez de standards oficiais e geralmente aceites na indústria, favorece a adoção de abordagens diferentes entre projetos e, por vezes, entre fases do mesmo projeto, incrementando assim o risco de erros e a dificuldade em comparar ativos, custos de projeto, desempenho e potenciais investimentos.

O atual panorama enleva a importância da gestão de projetos na promoção das melhores práticas e qualificações profissionais na indústria da construção portuguesa, que se quer cada vez mais eficiente e competitiva no mercado global. Neste sentido, existe também espaço para instituições internacionais como o RICS, PMI e IPMA demarcarem a sua posição neste setor, proporcionando benefícios como: certificação global; acreditação e reconhecimento; standards globais; formação avançada; rede de conhecimento mundial; e experiência.

Há assim uma oportunidade emergente para os gestores de projeto na construção portuguesa, fundada em formação, qualificação, regulação e standards, e capitalizada sobre o seu papel integrador e experiência em coordenação, colaboração e comunicação. Os gestores de projeto podem – e devem – também assumir um papel líder em iniciativas de inovação e desenvolvimento contribuidoras para um ambiente construído mais resiliente e sustentável, desbloqueando o potencial da transformação digital, economia circular e indústria 4.0.

A adequada incorporação do papel do gestor de projetos permitirá ao setor da construção e à economia portuguesa ultrapassarem alguns dos seus maiores desafios e beneficiarem de melhor value for money. A indústria deverá perguntar-se a si mesma: quais são os custos de oportunidade de não gerir e entregar projetos da forma mais acertada?

Mais sobre este tema no seguinte artigo desenvolvido por este autor:       Project Management in the Portuguese Construction Industry

Bruno de Carvalho Matos

MRICS, Eng Civil Sénior MSc PMP e MBA pela Católica | Nova

*Texto escrito com novo Acordo Ortográfico

PUB
TURISMO
Pedidos de informação de investidores portugueses aumentou 312% no Ombria Resort
24 de setembro de 2020
PUB
ARRENDAMENTO
Subida das rendas trava no segundo trimestre deste ano
24 de setembro de 2020
PUB
PUB
INTERNACIONAL
Brasil: Vai a leilão online o Edifício do Othon Palace Hotel Belo Horizonte
23 de setembro de 2020
PUB