CONSTRUÍMOS
NOTÍCIA
quarta-feira, 27 de outubro de 2021
Entrevistas
Futuro do imobiliário será promissor e em breve estaremos ao nível dos melhores anos sky.jpg 2.jpg 4.jpg 3.jpg Futuro do imobiliário será promissor e em breve estaremos ao nível dos melhores anos

Futuro do imobiliário será promissor e em breve estaremos ao nível dos melhores anos

27 de setembro de 2021

É um dos maiores promotores imobiliários portugueses e um dos pioneiros de obra nova de luxo para as famílias portuguesas na “era pós-crise de 2012”. A JPS Group tem este momento, mais de 700 unidades em construção e o seu portefólio de empreendimentos totalizam mais de 300.000 m2 em projectos.

João Sousa, CEO do grupo, admite que o sector mesmo com esta pandemia mostrou mais uma vez uma capacidade de superação incrível e de resiliência, das quais muitos duvidavam. “Quando, nessa altura, perguntaram-me se eu não estava demasiado optimista em relação à recuperação do mercado, quando a maior parte das pessoas ligadas ao sector defendiam cenários catastróficos, a verdade é que felizmente o tempo veio dar-me razão, assim como aos poucos que pensavam como eu”, lembra o promotor.

Para saber como a JPS Group tem ultrapassado este último ano e meio, João Sousa, revelou que a empresa tem estado focada na criação e novas soluções de habitação.

Como a JPS Group tem gerido os seus projectos nestes dois últimos anos?

Durante estes últimos dois anos, a JPS Group tem estado focada na criação de novas soluções de habitação e lançou dois empreendimentos com conceitos diferentes. Em 2019 lançámos o Green Valley Oeiras Residence e, cujo conceito pretende criar um estilo de vida, com o objetivo de alterar rotinas e unir famílias num espaço verde sustentável e com serviços para todas as gerações. A primeira fase de vendas foi um sucesso tendo sido vendida a 100% e em breve iremos lançar a 2ª fase de vendas deste empreendimento que tem uma grande procura e, para a qual já temos uma lista de clientes em espera. Em 2020, lançámos o empreendimento, Terraços de São Francisco em Alcochete, desenvolvido para quem procura a exclusividade, tranquilidade, conforto, rodeado de uma beleza natural de excelência e de todas as comodidades, a apenas escassos minutos de Lisboa. Este projeto foi um verdadeiro sucesso de vendas para nós e o seu conceito teve uma excelente aceitação e muita procura pelos nossos clientes. Também este empreendimento foi um grande sucesso, tendo sido vendidos 100% dos apartamentos e as moradias estão nesta fase já a 90% de vendas concretizadas. No que diz respeito à entrega de casas, concluímos a construção do Sea View Residence e também de uma parte grande do nosso emblemático SkyCity, entregue por fases de construção.

Ao mesmo tempo, também temos que fazer a gestão de mais de 700 unidades em construção, e isso implica vários desafios, sobretudo nesta fase de pandemia que atravessamos, quer por falta de mão de obra qualificada, por atrasos de entrega de materiais, questões de licenciamento e outros múltiplos fatores, mas trabalhamos diariamente para ultrapassar estes desafios com a nossa equipa multidisciplinar que tem por objectivo a excelência e a satisfação dos nossos clientes.

Que balanço faz deste período e as consequências para o mercado imobiliário?

Apesar de tudo o que se passou e das dificuldades inerentes a uma situação de pandemia que apanhou todos desprevenidos a nível mundial, julgo que o sector mostrou mais uma vez uma capacidade de superação incrível e de resiliência,  das quais muitos duvidavam. Quando, nessa altura, perguntaram-me se eu não estava demasiado optimista em relação à recuperação do mercado, quando a maior parte das pessoas ligadas ao sector defendiam cenários catastróficos, a verdade é que felizmente o tempo veio dar-me razão, assim como aos poucos que pensavam como eu. Existiu naturalmente um abrandamento em relação aos produtos muito direccionados para o mercado externo, e isso era expectável, mas rapidamente começamos a recuperar e a serem feitas vendas. Os investidores internacionais já estão activos novamente no mercado há algum tempo.

Quanto aos produtos internos mais direccionados para famílias portuguesas, em termos de vendas, tivemos sempre procura e chegamos a fazer vários contratos de promessa mesmo em fase de confinamento. Para a JPS Group, na parte comercial felizmente não sofremos o impacto negativo da situação vivida, em relação à parte da construção, aí sim, sobretudo devido aos atrasos inerentes, processos de licenciamentos, entrega de materiais, etc., mas felizmente também nessa área estamos a conseguir recuperar esse tempo e a ultrapassar esses obstáculos.

Como têm corrido as vendas? Quem tem comprado?

Conforme referi anteriormente, as vendas superaram muito as nossas expectativas, principalmente no que diz respeito ao nosso último projecto, o Terraços de São Francisco, em Alcochete, do qual vendemos 100% dos apartamentos em menos de um mês, e temos quase 90% das das vendas concluídas das moradias, o que faz deste empreendimento um verdadeiro sucesso. Também conseguimos fechar as vendas do The Village e do Sea View Residence.

De uma forma geral, podemos dizer que 2021 está a ser um bom ano para o grupo e que os nossos objectivos vão ser atingidos. A maioria das nossas casas são compradas por portugueses de classe média e média alta, para habitação ou para investimento e, que procuram principalmente uma excelente relação qualidade/preço onde se enquadra perfeitamente a nossa oferta de produtos e que tem uma grande procura no mercado nacional.

Sabendo que a construção nova tem sido uma das apostas do Grupo, foi a aposta certa? Ainda continua a faltar construção nova?

Sim, sem dúvida que foi uma aposta certa, no tempo certo. Fomos pioneiros, numa “era pós-crise de 2012”, na construção de obra nova de luxo para as famílias portuguesas. Viemos antecipar tendências quando não havia nada, de dimensão, sequer parecido, no mercado, e muito menos com os preços imbatíveis como são os nossos.

Numa altura em que a procura de casa superou a oferta, a construção nova tem sido e continuará a ser uma das grandes apostas da JPS GROUP. O nosso portefólio de empreendimentos, muito conhecidos e procurados pelos nossos clientes, totalizam mais de 300.000 m2 em projetos, o que reflecte a sua grande dimensão. O empreendimento SkyCity é, actualmente, é uma dos maiores empreendimentos em construção em Portugal. A JPS GROUP, é promotora de mais de 1.550 moradias e apartamentos de construção nova, pelo que se posiciona como um dos maiores promotores de empreendimentos de grande dimensão em Portugal.

E quanto a preços. Muito se falou na queda dos valores mas tal não aconteceu. Como tem corrido nos projectos da JPS Group?

Os nossos preços são imbatíveis, e continuam imbatíveis. Temos sempre valores de venda nos lançamentos considerados ‘bombásticos’, e com a evolução das vendas sofrem alguma correção para cima, como é natural, mas mesmo com esses pequenos aumentos que vamos fazendo, continuamos a ter os preços mais baixos do mercado se analisarmos a qualidade/preço dos nossos projectos.

Estão previstos novos empreendimentos?

Fora os que estão em fase de entrega, estamos com cinco projectos de grande dimensão em simultâneo e mais de 500 colaboradores internos e externos. De momento estamos numa altura de consolidação e de início de construção de alguns grandes projectos que temos. Só entre o, Terraços de São Francisco e o Green Valley Oeiras Residence, estamos a falar de mais de 300 casas em início de construção, fora a última fase do SkyCity cuja construção iniciámos há pouco mais de seis meses. Para já, não estamos a equacionar nenhum projecto para além destes, mas como sempre tem acontecido, tudo é possível, desde que apareçam boas oportunidades e, que se enquadrem dentro da nossa filosofia de empresa.

Como analisa o mercado imobiliário até ao final do ano e para o próximo ano? 

Como já tinha referido, o mercado imobiliário apesar da pandemia tem-se mostrado muito resiliente, e comportou-se de uma forma surpreendente, resistindo à crise e reinventando-se para dar resposta às necessidades atuais. Para tal contribui, a evolução da tecnologia ao serviço do negócio, tanto na procura de casa virtual e no acesso rápido à informação, a variedade de serviços de crédito à habitação, os juros de crédito habitação baixos, a procura de casa fora dos centros urbanos com espaço exteriores, entre outros contribuíram para a resiliência deste mercado.

Parece-me que o futuro do setor imobiliário será promissor e que em breve estaremos ao nível dos melhores anos que já atravessamos, e acredito que deverá seguir esta tendência também no próximo ano, apesar dos constantes desafios que o mesmo atravessa. A JPS Group continua a trabalhar diariamente para que cada dia seja melhor que o anterior. É essa a nossa motivação e julgo que também parte da razão do nosso sucesso.

PUB
PUB
TURISMO
Turismo de Portugal lança "Invest in Tourism"
26 de outubro de 2021
ARRENDAMENTO
Rendas das casas em Lisboa continuam 18% abaixo do Pré-Covid
26 de outubro de 2021
PUB
PUB
INTERNACIONAL
Novo Fundo de Investimento da Sonae Sierra adquire cinco supermercados na Alemanha
26 de outubro de 2021
PUB