CONSTRUÍMOS
NOTÍCIA
terça-feira, 19 de novembro de 2019
Entrevistas

Portugal é atraente para os investidores e ganhou significativamente em importância

19 de agosto de 2019

Claudia Boymanns, Directora da feira EXPO REAL, de Munique, revela que a atractividade do mercado imobiliário português vai despertar o interesse de investidores internacionais presentes neste salão em Outubro, na cidade alemã. Em entrevista ao Diário Imobiliário, a responsável assegura que este ano a feira vai confirmar a importância do imobiliário português.

A EXPO REAL está a crescer. Qual é o nível de interesse até agora no salão de 2019?

Esperamos novamente um evento muito forte. Em 2018, marcaram presença 2.095 expositores e 45.000 participantes estiverem em Munique - e em 2019 esperamos números semelhantes. O que oferecemos ao sector imobiliário internacional é uma plataforma para informações, troca de experiência e networking. Envolvemo-nos de perto com o sector e, assim, muito cedo, podemos captar temas e tendências que estão a moldar o desenvolvimento do sector imobiliário. E em cada ano temos um extenso programa de conferências com temas gerais que influenciam o sector e olha também mais de perto para mercados e segmentos, explora aspectos específicos e oferece ideias e informações para todos os interesses ao longo da cadeia de valor agregado.

Quais países estão representados? E quais projectos apresentam?

O foco do salão são os mercados europeus. No ano passado, os expositores vieram de cerca de 40 países diferentes, os participantes de 73 países - por exemplo, dos EUA e Canadá, da região da Ásia-Pacífico, da África e do Oriente Médio. Este ano o Egipto, o Líbano e Malta vão participar pela primeira vez como expositores na EXPO REAL. Os projectos dos expositores podem ser projectos individuais, mas - sobretudo no caso das autoridades regionais - também projectos de desenvolvimento urbano mais extensos. Outros expositores mostram os seus serviços e novas ideias de negócios. Os projectos e temas apresentados na mostra cobrem um espectro muito amplo.

Como você vê a participação portuguesa?

Estamos felizes por ter uma comunidade portuguesa em constante crescimento e estabelecida a ‘bordo’. Este ano, o Porto está a celebrar a sua estreia como expositor na EXPO REAL e o seu stand irá disponibilizar uma plataforma atractiva e até agora oito co-expositores já se inscreveram. Lisboa está representada com um pavilhão conjunto há cinco anos, cerca de dez co-expositores expõem aqui todos os anos. Outro expositor de longa data é a Sonae Sierra, especialista em centros comerciais. Além disso, recebemos cerca de 50 visitantes de Portugal por ano. Portugal é atractivo para os investidores e a EXPO REAL é o local perfeito para conectar todos os parceiros para futuros projectos neste promissor mercado.

Acha que a atractividade do mercado imobiliário português vai despertar o interesse de investidores internacionais presentes na Expo Real?

Eu tenho certeza disso. Portugal é um local atraente para os investidores e, nos últimos tempos, ganhou significativamente em importância. Como tal, estamos muito satisfeitos por este mercado estar também representado na Expo Real e dar aos participantes a oportunidade de recolher informação e fazer contactos.

Qual é a sua análise do mercado imobiliário europeu agora?

Actividade de investimento e - não menos importante - as localizações ainda estão se mantendo bem. No entanto, também estamos a observar um ligeiro declínio na economia global, que, dependendo de quanto tempo isso durar, terá inevitavelmente impacto sobre o sector imobiliário. Além disso, há muitas incertezas políticas - desde a escalada de conflitos comerciais com os EUA até uma situação ainda não resolvida do Brexit, e a questão do desenvolvimento futuro da UE, bem como as crescentes tensões no Oriente Próximo e Médio. Tudo isso está a levar os investidores, assim como as empresas em geral, a observar de perto as decisões e os riscos associados a elas. Esse tema também está reflectido no nosso programa da conferência: Sob o título “Mantenha a calma e continue”, os especialistas dão a sua avaliação dos riscos de investimento específicos de países e segmentos.

Leia mais sobre a EXPO REAL: https://www.diarioimobiliario.pt/Actualidade/Munique-Grande-ponto-de-encontro-de-negocios-de-imobiliario-a-nivel-internacional

 

PUB
ARRENDAMENTO
Englobamento obrigatório para rendimentos prediais terá “efeito perverso” no mercado – diz APEMIP
14 de novembro de 2019
PUB
PUB
PUB