CONSTRUÍMOS
NOTÍCIA
domingo, 28 de fevereiro de 2021
Opinião
Winter is coming

Winter is coming

17 de novembro de 2020

Inspirei-me no lema da Casa Stark, da série “Game of Thrones”, que nos lembra que, por detrás deste mote, está um aviso e um apelo à vigilância constante. Na série, os Stark, como senhores do Norte, tinham de estar sempre prontos para a chegada do inverno, que atingia suas terras com mais força.

Aqui em Portugal, a estação mais fria do ano aproxima-se e, infelizmente, estamos longe de estarmos preparados. E, à semelhança do inverno em Westeros, temo que vamos ser atingidos forte e feio.

Os sinais para a tragédia iminente têm vindo a ser anunciados paulatinamente ao longo dos últimos meses. Centenas de empresas de imobiliário fecharam as portas nas últimas semanas – o Jornal de Negócios escrevia recentemente que, em final de Setembro, desapareceram 373 mediadoras imobiliárias (depois de terem sido criadas 420 desde a chegada da pandemia a Portugal, numa média de 80 novas mediadoras por mês).  Mas não só.

Apesar de todos os alertas, o Governo retomou a ideia de acabar com os vistos gold em Lisboa e no Porto, uma medida que poderá custar 700 milhões de euros à economia nacional, depois de, desde 2014, ter trazido para o País investimentos que ascenderam a 25.000 milhões de euros, de acordo com a Associação Portuguesa de Promotores e Investidores Imobiliários.

Em paralelo, muitas famílias vivem na artificialidade do adiamento das moratórias, o desemprego está a subir, o país vai progressivamente tentando sobreviver a um lockdown que, a cada dia que passa, está a deixar de ser uma eventualidade para ser uma fatalidade.

No caso do sector imobiliário, mesmo que involuntária, a paralisação pode ser quase total: com o preço dos imóveis inalterados - os proprietários ainda acham que os estrangeiros vão continuar a comprar como antigamente – e com a paragem nos grandes negócios e nos investimentos, particulares e investidores esperam, colocando milhares de profissionais e de empresas novamente em stand by. Porque as famílias não estão a comprar nem a vender e os grandes players observam para ver como é que o mercado vai reagir e se, eventualmente, ainda podem comprar mais baixo.

Diz-se que o sector imobiliário é um dos motores da economia, que representa cerca de 15% do PIB nacional, e é responsável por, directa ou indiirectamente, influir noutros sectores da nossa sociedade, como a construção, o turismo, a restauração, o comércio, etc.  Tendo por base esta premissa, deixo-vos a pergunta: se nós profissionais do sector pararmos, o que acham, genuinamente, que vai acontecer ao País?

Evocando John Steinbeck, temo que este seja, lamentavelmente, o Inverno do nosso descontentamento.

Francisco Mota Ferreira

Consultor imobiliário

PUB
TURISMO
Proença-a-Nova reabilita Praia Fluvial da Aldeia Ruiva
26 de fevereiro de 2021
ARRENDAMENTO
Aprovada proposta que permite ao fisco ceder dados para validação do Apoiar Rendas
26 de fevereiro de 2021
PUB
PUB
INTERNACIONAL
FIFA world Cup Qatar 2022: construção de 7 estádios já levou à morte de mais de 6.500 trabalhadores migrantes
24 de fevereiro de 2021
PUB