CONSTRUÍMOS
NOTÍCIA
terça-feira, 12 de novembro de 2019
Opinião

Os ciclos económicos passam, há que aproveitá-los

27 de setembro de 2013

A crise económica em Portugal é anterior a chamada “crise do sub prime” que se iniciou no ano de 2008.

No ano de 2007 já sentíamos os primeiros sinais de que a economia estava em crise e que vieram a se agudizar nos anos mais recentes, também em consequência das dificuldades dos seus principais parceiros europeus, em especial a Espanha.

Problemas estruturais e gastos superiores as receitas com uma política de endividamento das empresas e particulares acentuaram este processo.

Com a eleição de um novo governo e a intervenção da troika, a dois anos, houve a imposição de outras políticas com reformas profundas no país, como na justiça, relações laborais, segurança social  e outras que estão sendo gradualmente implementadas, com enorme esforço e dificuldades políticas acrescidas e o aumento da recessão.

Bem ou mal feita, não me cabe analisar o governo e as suas decisões políticas, a realidade é que um novo ciclo está começando no país e na europa.

Não é uma análise pessoal, quem o afirma é a OCDE e a empresa Goldman Sachs, que recomenda investimentos na europa, criando uma nova espectativa no mercado de investimentos.

A recuperação da economia portuguesa será um processo lento e gradual mais positivo.

Os ciclos económicos dão os sinais para os observadores do mercado.

Os chamados “players” internacionais já retornaram à Portugal e estão a procura de activos com qualidade e oportunidades de investimentos para ganhos futuros.

Posso afirmar que Portugal não teve uma bolha imobiliária.

A exemplo do que ocorreu na florida ou na Espanha. Apesar disto, houve uma redução forçada dos preços pela diminuição da demanda e retracção da economia em torno de 20% nos valores dos activos, aliados a alguma inflação ocorrida nestes últimos seis anos.

Acredito que os preços vão recuperar, podendo atingir 30% de valorização nos próximos anos.

O momento ideal para investir no mercado português é agora, em que ainda há oportunidades de bons negócios e com “yields” aliados a uma perspectiva de inflação baixa tornam a possibilidade de ganhos futuros uma realidade.

Os ciclos económicos passam, há que saber aproveitá-los.

Arnaldo Grossman
Presidente da Consultan

PUB
ARRENDAMENTO
Modelo do IRS para 2020 com campo para contratos de arrendamento com redução de IRS
5 de novembro de 2019
PUB
PUB
PUB