O poder da mediação

17 de Abril de 2018

É com entusiasmo que todos olhamos para a retoma do setor imobiliário em Portugal. Torna-se assim, de novo, um dos motores da nossa economia.

Em linha com este crescimento, encontra-se a evolução ao nível da criação de novas sociedades de mediação imobiliária, que em 2017 atingiu níveis únicos de crescimento, com a concessão de 1385 novas licenças.

Este setor, ainda pouco apreendido pela maioria dos portugueses, emprega cerca de 40 mil profissionais distribuídos por de 5.500 empresas.

Com este “boom” imobiliário muitos dos intervenientes (compradores/vendedores) são levados a pensar que não necessitam de recorrer aos profissionais habilitados (mediadores) para a concretização dos seus negócios. Os números de novas empresas neste sector provam precisamente o contrário, ou seja, a intervenção de profissionais habilitados é fundamental para a boa concretização dos negócios e segurança das partes neles envolvidos, dada a sua elevada especificidade, vejamos então.

Neste tipo de transações o preço nunca está tabelado, existe um valor de partida, o chamado “valor de mercado”. A mediação é fundamental pois o ganho de uma parte é a perda da outra e vice-versa. A mediação visa conseguir uma solução “win-win”, alertando para a necessidade de cedências mútuas, razoáveis, para ambas as partes.

Ao contrário também do que alguns advogam, quando a transação é tratada diretamente pelos intervenientes (comprador/vendedor) retira-se imparcialidade e clareza na tomada das decisões, nomeadamente pelo desconhecimento de todas as implicações que o negócio acarreta para as partes e pelo fator emocional. Este facto traduz-se, muitas vezes, em situações irremediáveis, com prejuízos surpresa. A mediação profissional e competente visa precisamente alertar para todas as implicações do negócio que levam a uma decisão consciente e esclarecida, evitando surpresas “á posteriori” para qualquer dos intervenientes. Por outro lado, a mediação imprime uma maior rapidez na concretização dos negócios.

Diremos, também, que a compra ou venda de um imóvel, é na grande maioria dos casos, uma das decisões mais importante na vida das pessoas, pelo impacto temporal e económico que acarretam e que por isso deve ser realizada com acompanhamento de profissionais competentes que estruturam as suas atividades nas empresas licenciadas para tal.

Em conclusão, a mediação profissional, de que fazem parte as empresas titulares destas licenças, poderá revelar-se então como fundamental para a sustentabilidade deste setor e continuar a ser imprescindível, mesmo em momentos de grande atividade, para a segurança de todas as partes envolvidas.

Gustavo Soares

Empresário e Gestor de empresa

*Texto publicado no Jornal Económico no âmbito da parceria com o Diário Imobiliário

Escrito com o novo acordo ortográfico