CONSTRUÍMOS
NOTÍCIA
sexta-feira, 25 de setembro de 2020
Habitação by century 21
Venda de casas em 2017 bateu o recorde dos  últimos nove anos

Venda de casas em 2017 bateu o recorde dos últimos nove anos

23 de março de 2018

Em 2017 transaccionaram-se 153 292 alojamentos, o valor mais elevado dos últimos nove anos, divulga hoje o INE - Instituto Nacional de Estatística, tendo sido vendidas mais 26 186 habitações (20,6%) do que em 2016. As transacções totalizaram 19,3 mil milhões de euros, mais 30,6% do que em 2016. Também nos últimos quatro anos o valor das transacções de alojamentos mais do que duplicou, sendo que o número de transacções aumentou 82%, entre 2014 e 2017.

O relatório revela ainda que os alojamentos existentes continuaram a representar a maior parte das transações realizadas durante o último ano, tendo o seu peso relativo no total de transacções aumentado em 1.5 p.p. para 84,5%. Este aumento é explicado pelo facto das habitações existentes terem registado uma variação do número de transacções de 22,8%, uma taxa muito superior à observada nos alojamentos novos (9,8%). Esta última variação representa, no entanto, o maior aumento anual da série disponível. O valor das vendas das habitações, em 2017, ultrapassou os 19,3 mil milhões de euros, o que corresponde a um aumento de mais de 4,5 mil milhões (30,6%) por comparação com o ano anterior.

 Já o Índice de Preços da Habitação (IPHab) apresentou uma variação média anual de 9,2%. O aumento excedeu em 2,1 pontos percentuais (p.p.) em relação a 2016. Segundo os dados divulgados hoje pelo INE - Instituto Nacional de Estatística, a subida dos preços foi mais intensa nas habitações existentes (10,4%) do que nas habitações novas (5,6%).

O relatório mostra que no quarto trimestre de 2017, a taxa de variação homóloga do IPHab foi 10,5%, mais 0,1 p.p. por comparação com o trimestre anterior. "Neste período, tal como sucedeu ao longo de 2017, os preços dos alojamentos existentes registaram um ritmo de crescimento superior ao dos alojamentos novos (11,8% e 5,9%, respetivamente). Entre o terceiro e o quarto trimestre de 2017, o IPHab cresceu 1,2% (variação de 3,5% no trimestre anterior).

O INE avança ainda que em 2017, as duas regiões com maior número de transacções (a Área Metropolitana de Lisboa e a região do Norte) concentraram 64,3% do número total das transacções realizadas, o que constitui um novo máximo na série disponível. O Alentejo foi aquela que, em conjunto com as duas regiões acima referidas, também apresentou um incremento (0,1 p.p.) no respectivo peso relativo no último ano. O Algarve foi a única região a registar uma redução (-0,3 p.p.) em termos de quota, tendo os pesos relativos das restantes regiões nacionais permanecido inalterados.

PUB
ARRENDAMENTO
Subida das rendas trava no segundo trimestre deste ano
24 de setembro de 2020
PUB
PUB
PUB