SkyCity: O projecto que vai conquistar Lisboa

17 de Maio de 2017

Os grandes empreendimentos de construção nova estão de regresso e Lisboa prepara-se para receber o SkyCity. Com uma vista de serra e mar, o projecto é dirigido às famílias portuguesas.

Estamos num momento em que os projectos de reabilitação urbana têm conquistado sobretudo os investidores estrangeiros, tendo os portugueses maiores dificuldades em conseguir comprar habitação na capital portuguesa. Já existem, no entanto, sinais de falta de oferta de produtos novos na cidade, sobretudo para as famílias nacionais. Pela beleza da localização e da consciência dessa necessidade que o JPS Group decidiu agarrar este projecto e desenvolver o empreendimento SkyCity apoiado pelo Montepio.

Localizado na designada Serra de Carnaxide, o empreendimento conta com 49 moradias isoladas, 66 em banda e 255 apartamentos de tipologias entre o T2 e o T5 e áreas que podem chegar aos 400 m2. João Sousa, CEO do Grupo JPS, afirma ao Diário Imobiliário, que o SkyCity vem dar resposta sobretudo aos clientes portugueses, famílias de classe média e média/alta, que procuram moradias e apartamentos com boas áreas, boa construção, acabamentos de luxo, zonas envolventes agradáveis, piscina, garagem e a poucos minutos do centro de Lisboa, mas a preços muito competitivos.

80% dos compradores são famílias portuguesas

“Embora também tenhamos clientes estrangeiros, mais de 80% dos compradores são famílias portuguesas com ou sem filhos, mas também clientes solteiros na faixa dos 30 anos que pretendem ter casa própria e que têm critérios de exigência que seria difícil encontrar em termos de qualidade/preço no centro de Lisboa”, explica o responsável que acrescenta, “apartamentos e moradias com as características referidas e muitas outras comodidades, não são fáceis de encontrar no centro de Lisboa por menos de 500 mil euros”.

Na verdade, o SkyCity apresenta preços bastante variados e competitivos, a partir de 135.000 euros para os apartamentos. Uma moradia em banda pode custar cerca de 360.000 euros e é possível adquirir uma moradia isolada com piscina por pouco mais de 500 mil euros. “Preços esses, que para a localização e qualidade do empreendimento, podem ser considerados bastante baixos”, admite João Sousa.

Comprar em planta para acompanhar a construção da casa de sonho

Voltou-se novamente à possibilidade de compra em planta e quanto a isso João Sousa assegura que é uma vantagem e que também diferencia o JPS Group. “Os projectos são pensados para o cliente e com o cliente. Como os vendemos ainda em planta, é importante que os clientes possam participar activamente e que nos ajudem a ir de encontro às suas expectativas. Connosco podem de facto participar activamente na construção da sua casa de sonho”, explica.

João Sousa garante que é um projecto que está a exceder todas as expectativas pois já se venderam 70% das moradias em planta, foram lançados os primeiros 10 lotes com 50 apartamentos que se venderam numa semana e cerca de um mês depois de terem colocado no mercado mais 10 lotes com 50 apartamentos, voltou-se a repetir esse sucesso.

“Vamos lançar brevemente mais 50 apartamentos para venda. Tipologias entre T2 e T5. Também vamos ter alguns espaços comerciais disponíveis. Temos já vários clientes em lista de espera, esperamos por isso repetir esse êxito de vendas”, esclarece.

O lançamento oficial do SkyCity será no próximo dia 23 de Maio e ainda este mês se dará o início dos trabalhos na urbanização.

Quanto ao investimento, o CEO revela que ainda é difícil avançar com um valor mas “estamos a falar naturalmente de vários milhões de euros”.

Mercado imobiliário nacional vai continuar a dinamizar

João Sousa, garante que o mercado imobiliário nacional vai continuar a dinamizar, tendo como foco o público português, é a parte do mercado imobiliário residencial com estas características do SkyCity, “empreendimentos de luxo às portas de Lisboa, mas com preços muito competitivos e que fazem com que os portugueses consigam comprar sem fazer grande esforço no seu orçamento familiar, e desta forma consigam ter uma mais alta qualidade de vida”.

O responsável adianta ainda que pela confiança no mercado português a banca também está mais receptiva ao financiamento. “Sem dúvida que a banca de uma forma geral está novamente a apoiar os mais diversos projectos imobiliários e os clientes finais.

A enorme procura que se tem verificado, quer por parte de investidores estrangeiros quer por parte de clientes finais, estrangeiros e portugueses, tem contribuído de uma forma decisiva para o aumento de confiança no mercado imobiliário”, conclui João Sousa.