CONSTRUÍMOS
NOTÍCIA
segunda-feira, 24 de fevereiro de 2020
Habitação by century 21

Em 2020 os preços das casas devem continuar a subir e as vendas estabilizam

9 de janeiro de 2020

Os preços na habitação em Portugal continuarão a subir ao longo de 2020 com um aumento mais acentuado no Porto do que Lisboa e as vendas devem estabilizar, são algumas conclusões do Barómetro Out of the Box.

No inquérito efectuado aos players do mercado, quase 36% dos inquiridos aponta para uma subida dos preços até 5%, sendo que 13% acredita mesmo numa subida até aos 10%. No entanto, 40% das pessoas que responderam ao inquérito acreditam na manutenção dos preços ou numa quebra até 5%.

Segundo o relatório, este ano comparativamente com o Barómetro de 2019, o mercado aparenta estar mais cauteloso este ano. No ano passado, 70% dos inquiridos apontavam para uma subida de preços enquanto que este ano esse valor ficou-se nos 51%.

O Barómetro a mostrar que a tendência de subida dos preços no Porto será superior do que em Lisboa. Quase 65% dos inquiridos acredita numa subida de preços na capital do Norte, enquanto que as respostas dividem-se mais em Lisboa. Na capital, 25% acredita mesmo numa quebra dos preços, sendo que os restantes inquiridos dividem-se entre uma estabilização ou uma subida dos mesmos.

Vendas estabilizam em 2020

Quanto à venda de casa, o ano de 2020 traz um pouco mais de cautela, face a 2019. A maior parte dos inquiridos acredita numa estabilização no número de casas vendidas (37,5%), enquanto que 32,6% acredita ainda que o mercado possa vir a vender mais casas em 2020. Quase 30% prevê uma quebra nas vendas.

Tal como nos preços, o mercado está bastante mais optimista para a cidade do Porto com uma larga maioria de quase 68% a acreditar numa subida das vendas, enquanto que em Lisboa a opinião divide-se entre uma subida e uma estabilização do mercado.

O Barómetro mostra ainda que 60% dos promotores imobiliários que responderam ao inquérito acreditam numa subida dos preços em Portugal em 2020, sendo que 20% aponta para uma estabilização do mercado. Do lado dos avaliadores, são mais de 50% aqueles que prevêem uma subida nos preços.

Os mediadores imobiliários parecem um pouco mais cautelosos com quase 35% a preverem uma descida nos preços e 40,5% a acreditaram numa quebra nas casas vendidas. Trata-se de um dado interessante já que são o público com maior número de respostas (45%).

Também os gestores imobiliários, a par dos mediadores, são aqueles que aparentam estar mais pessimistas. Ambas as categorias profissionais apresentam uma percentagem de respostas sobre aumento dos preços inferior ao resultado final do Barómetro, e superior no caso de perspectiva de descida dos preços.

Taxas de juro e incentivos fiscais com papel relevante no mercado

O inquérito da Out of the Box revela ainda que mais de 55% dos inquiridos acredita que os incentivos fiscais ao arrendamento terão um efeito positivo ao mercado, havendo no entanto 31% que não vê grande impacto nas medidas tomadas. Já uma possível subida das taxas de juro trará consequências negativas com quase 88% dos inquiridos a apontarem para possíveis efeitos nefastos no mercado da habitação caso o Banco Central Europeu decida por uma subida da sua taxa directora.

Um possível fim do programa dos Golden Visa ou dos Residentes Fiscais não habituais trarão igualmente consequências negativas ao mercado com uma larga maioria dos inquiridos a apontarem efeitos negativos na habitação em Portugal caso o Governo opte pelo cancelamento destes programas.

PUB
ARRENDAMENTO
Rendas das casas aumentam 3,4% em Janeiro em termos homólogos
12 de fevereiro de 2020
PUB
PUB
PUB