89,7% dos portugueses prefere comprar casa

08 de Novembro de 2018

Entre comprar e arrendar casa, a primeira opção é para a maioria dos portugueses a mais desejada, mesmo os jovens até aos 29 anos manifesta intenção de adquirir casa.

Segundo o I Observatório da Mercado da Habitação, um estudo realizado pela rede imobiliária Century 21 Portugal e que retrata o perfil do mercado imobiliário nacional, a aquisição de casa própria continua muito enraizada em Portugal e é a escolha preferencial de 89,7% dos consumidores entre os 30 e os 50 anos de idade, e mais de 85% dos jovens, entre os 18 e os 29 anos, manifesta intenção de comprar uma casa. 

A preferência por casa própria, para 58% dos inquiridos é uma questão de investimento para o futuro e 38% salienta que essa é a maneira de criar um lar. O argumento do investimento é a razão mais importante em todas as idades e em todas as zonas, excepto no Algarve, onde o motivo mais apontado é poder criar um lar. A idade e a fase da vida em que os consumidores se encontram são factores que também determinam as suas escolhas. Por exemplo, entre as pessoas com mais de 50 anos, a ideia de deixar património para os filhos ganha importância quando pensam na aquisição de casa. Um segundo conjunto de argumentos a favor da habitação própria assinala também um componente puramente económico, ao considerar que arrendar é um desperdício de dinheiro (27%) ou que arrendar é tão caro como comprar (21%).

Cerca de 76,4% das pessoas que vivem em arrendamento preferiam fazê-lo numa habitação própria. Entre os que dizem preferir uma habitação arrendada, quase metade alega que esta é a opção mais acessível quando não se tem as condições económicas para ter acesso a uma habitação própria. Já 43,7% destaca que viver em arrendamento oferece a flexibilidade para mudar facilmente de residência, quando ou se for necessário.

Não assumir compromissos e riscos é razão apontada por 39,3% dos que preferem o arrendamento à compra, enquanto outros motivos como, por exemplo, economizar em impostos e despesas, são indicados por 25,2% dos que optam por arrendar.

O estudo mostra que a acessibilidade económica é a principal razão para os jovens com menos de 40 anos optarem pelo arrendamento. Para 56% dos que têm entre os 18 e os 29 anos, arrendar uma casa é mais acessível, não tendo condições económicas para comprar. A mesma razão é apontada por 57,5% das pessoas entre os 30 e os 39 anos.

Para Ricardo Sousa, CEO da Century 21 Portugal, "os resultados do estudo sobre as opções de compra ou arrendamento de habitação são bastante explícitos quanto às preferências dos portugueses. A esmagadora maioria prefere casa própria e mais de metade dos que vivem em arrendamento consideram-na uma opção temporária. Estes indicadores também revelam que é imperativo criar soluções adequadas de arrendamento, para suprir as necessidades da procura. Os dados relativos ao arrendamento são a consequência de não existir um mercado de arrendamento com escala, transparente e profissional, com opções ajustadas ao perfil de procura e à sua capacidade económica da população nacional".