CONSTRUÍMOS
NOTÍCIA
segunda-feira, 26 de Agosto de 2019
Entrevistas
Hubert Viriot, CEO do Yotel

Yotel criou o ‘luxo acessível’ na hotelaria

27 de Dezembro de 2018

Foi anunciado recentemente a chegada do Yotel a Portugal, sendo o primeiro na Península Ibérica, concretamente na cidade do Porto. Um passo importante para uma rede hoteleira que aposta na inovação e nas novas tecnologias, uma marca que se vai expandindo pelo mundo e que tem se afirmado pela diferença.

O Yotel caracteriza-se por espaços de design de luxo, onde a acessibilidade é chave – com Wi-Fi, amplo acesso a pontos de carregamento e energia em cabinas e espaços públicos. A entrada é feita sem chave e as chegadas e partidas podem ser feitas em quiosques de autoatendimento de fácil acesso.

Hubert Viriot, CEO do Yotel, em entrevista ao Diário Imobiliário, explicou que a empresa se encontra muito entusiasmada em lançar o primeiro hotel em Portugal, no Porto, uma cidade que integra algumas das maiores e importantes instituições portuguesas e  uma porta de entrada para o Vale do Douro e o norte do país. O responsável admite ainda que o mercado hoteleiro do Porto demonstrou a sua força e aptidão para atrair uma variedade cada vez maior de pessoas, tendo crescido em dois dígitos por três anos consecutivos. Além disso, “espera-se um forte crescimento económico, novas rotas aéreas e inúmeros eventos internacionais que proporcionaram um enorme afluxo ao Porto, impulsionando taxas de ocupação mais altas”.

O CEO adianta que se trata de uma marca voltada para a tecnologia, onde o Yotel oferecerá um valor extraordinário e um design inovador num mercado dominado por hotéis tradicionais, longe das necessidades e expectativas dos turistas modernos. “Uma coisa de que realmente nos orgulhamos no Yotel, é que entendemos as necessidades de quem viaja- hoje estamos constantemente conectados, independentemente onde  estamos, queremos transmitir nosso próprio conteúdo para a TV e temos vários dispositivos que precisam ser carregados - além disso,quer mudar de forma perfeita do trabalho para o entertenimento e no Yotel permitimos aos nossos clientes fazerem exatamente isso”, explica.

Viriot lembra ainda que o Porto é uma daquelas cidades que tem algo a oferecer para todos e as perspetivas do turismo, incluindo viagens de negócios, que são incrivelmente boas para a cidade. O que a empresa vê em todos os seus hotéis em todo o mundo é que: A razão pela qual as pessoas viajam está a alterar. Os viajantes começam a adicionar dias de férias para viagens de negócios, especialmente em destinos pitorescos como é o Porto.

O responsável admite ainda que o Yotel Porto tem como parceiro estratégico o United Investments Portugal (UIP) e juntos estão determinados a trazer a marca pioneira para a região acreditando que o traço de luxo inovador e acessível do Yotel, combina perfeitamente com o afluxo de pessoas à cidade, que procura continuamente a regeneração. O Yotel Porto será o primeiro de muitos na Península Ibérica, enquanto grupo da UIP, que procura ativamente oportunidades nesta região, centrando-se em cidades como Lisboa, Madrid e Barcelona.

“O Yotel foi o primeiro grupo hoteleiro a cunhar a frase ‘luxo acessível’. Fomos inovadores a nível de tecnologia e de design adaptável, adoptámos os elementos essenciais de viagens de luxo e colocámo-los em espaços inteligentes, fazendo o melhor uso de cada centímetro quadrado do hotel e criando um senso real de comunidade com espaços públicos perfeitamente projetados para o trabalho conjunto,exercício e, claro, socializar quando longe de casa ou do escritório. Eliminámos longos processos tradicionais, automatizando o máximo possível economizando tempo e libertando a nossa equipa para interagir e ajudar os clientes para o que eles precisam”, revela.

20 novos projetos

Sobre o futuro, Hubert Viriot revela que se apresentam alguns anos muito interessantes para o Yotel com 20 projetos em desenvolvimento. “Em 2019 estamos a planear abrir hotéis no aeroporto de Singapura Changi e Aeroporto de Istambul, bem como hotéis no centro da cidade em San Francisco, Londres, Edimburgo, Glasgow e Amsterdão. Estes hotéis serão seguidos pelos projetos Yotel e Yotelpad no Porto, Park City (Utah), Mammoth (Califórnia), Dubai (3), Genebra (4), Long Island City e Miami (2). A nossa equipa está focada em aumentar consideravelmente estes números no futuro, com uma meta de 60 hotéis em operação ou desenvolvimento até 2023, com o foco principal nos mercados EMEA - Europa, Médio Oriente e África, APAC - Ásia-Pacífico e EUA”, adianta.

Para o CEO, a indústria de Viagens e Hospitalidade não é apenas uma das maiores, mas também um dos mais rápidos setores em crescimento no mundo. Tem sido amplamente divulgado que a cada ano o quadro do viajante global está inundado com milhões de novos consumidores de mercados emergentes e em desenvolvimento, muitos deles derivado ao aumento dos rendimentos disponíveis.

Viriot revela que as pessoas viajam mais do que nunca nos dias de hoje, e não é apenas viajar, as pessoas são mais flexíveis na maneira como trabalham e facilmente aceitarão contratos temporários em diferentes partes do mundo. “Companhias aéreas mais acessíveis encolheram o mundo e o tornaram muito mais acessível para uma variedade maior de pessoas. Também é evidente que os viajantes fazem cada vez mais, uso de seus negócios para viajar e para adicionar passeios aos seus dias livres e desfrutar dos lugares que viajam, impulsionando o turismo em todo o mundo”, conclui.

*Texto publicado na edição em papel  do Diário Imobiliário no Jornal Económico. Escrito com o novo Acordo Ortográfico

PUB
ARRENDAMENTO
Matosinhoshabit ajuda 600 famílias num ano
22 de Agosto de 2019
PUB
PUB
PUB