CONSTRUÍMOS
NOTÍCIA
sexta-feira, 26 de fevereiro de 2021
Entrevistas
Temos desperdiçado muito tempo e recursos em estudos, úteis mas que acabam por caducar

Temos desperdiçado muito tempo e recursos em estudos, úteis mas que acabam por caducar

20 de janeiro de 2021

José Rui Meneses Castro, cofundador e administrador da MAP Engenharia, acredita que o mercado imobiliário deve-se manter globalmente estável em termos de investimento em 2021 mas o Estado deve garantir que Portugal se mantém como um país atractivo.

O responsável admite ainda que será um ano de crescimento, e estima em 25%, com os sectores da educação e logística a ganharem relevância em novos contratos e que serão construídos este ano.

O que se pode esperar para o mercado imobiliário em 2021?

Para 2021, acredito que o mercado imobiliário se manterá globalmente estável e atractivo em termos de investimento. Os sectores que mantiveram alguns desenvolvimentos em standby, decorrente da incerteza da pandemia, nomeadamente a hotelaria e os escritórios, espero que tomem a decisão de avançar com o objectivo de terem o seu produto pronto quando a procura voltar a ser elevada. Na MAP Engenharia perspectiva-se que 2021 será um ano de crescimento, estimamos 25%, com os sectores da educação e logística a ganharem relevância em novos contratos e que serão construídos em 2021.

Quais os desafios que se vão colocar ao sector este ano?

Os grandes desafios serão da parte do Estado garantir que Portugal se mantém como um país atractivo para o investimento imobiliário. Da parte dos investidores privados, terão o desafio de conceber produtos de qualidade e de acordo com as tendências actuais e futuras, que se adaptem aos novos hábitos que tornaram os utilizadores mais exigentes em termos de características dos espaço.

Que medidas devem ser tomadas em 2021?

Repetindo o que já por diversas vezes foi escrito, temos de tornar os processo de licenciamento e judiciais mais rápidos. Assistimos actualmente a demasiados projectos que estão estagnados aguardando decisões de licenciamento camarário ou de tribunais e isto é claramente um grande factor que afasta o investidor.

Adicionalmente e numa óptica de investimento público, que se traduz em melhoria de infraestruturas que beneficiam toda a economia e também o sector imobiliário, é imperativo que os diversos apoios dos planos do quadro de apoio comunitário sejam eficazmente aplicados. Temos desperdiçado muito tempo e recursos em estudos, alguns deles até úteis mas que acabam por caducar, que não se traduzem em conclusões implementadas. Está na hora de passar à acção!

http://www.diarioimobiliario.pt/Actualidade/2021-O-ano-da-prova-de-fogo-para-o-imobiliario

PUB
TURISMO
Mais de 60 organizações de viagens e turismo pedem à UE plano para Verão
25 de fevereiro de 2021
ARRENDAMENTO
Proprietários receiam que incumprimento de rendas vá aumentar este ano
17 de fevereiro de 2021
PUB
PUB
INTERNACIONAL
FIFA world Cup Qatar 2022: construção de 7 estádios já levou à morte de mais de 6.500 trabalhadores migrantes
24 de fevereiro de 2021
PUB