Portugal está definitivamente na Moda!

10 de Maio de 2017

É jovem, com apenas dois anos no mercado mas já com projectos de grande dimensão, a JPS Group vem marcar a diferença no mercado imobiliário português e depois de iniciar a sua actividade como promotor com a reabilitação, no centro de Lisboa, aventura-se agora na construção nova, sobretudo para as famílias portuguesas. Com o início da construção do SkyCity, um empreendimento que há muito não se via na capital portuguesa e em Portugal, João Sousa, CEO garante que o mercado já começa a sentir necessidade destes projectos e a procura é maior do que a oferta. Em entrevista ao Diário Imobiliário revela que a JSP Group vai investir 60 milhões de euros até final de 2019.

Porque a JPS Group decidiu abraçar a promoção imobiliária?

O mercado imobiliário em Portugal começou a recuperar trimestre após trimestre em 2015.

Essa tendência foi suportada pelo aumento da concessão de crédito por parte da banca que tinha estado praticamente parada nos anos anteriores.

A par desta situação, começaram a surgir investidores estrangeiros, muitos deles impulsionados pelas políticas de investimento, como por exemplo as vantagens fiscais para não residentes, e os Vistos Gold, criados em 2012 mas que foram ganhando importância nos anos seguintes.

Segundo dados do Instituto Nacional de Estatísticas (INE) no terceiro trimestre de 2015 registou-se nesse período um crescimento de 24,8% face ao período homólogo.

A JPS Group, atenta às oportunidades de mercado, começou nesta fase a abraçar a promoção imobiliária e a dar resposta às necessidades do mercado.

Em dois anos quais os projectos mais importantes da empresa?

O nosso primeiro grande projecto foi o LuxResidence, 27 apartamentos de tipologias entre T1 e T3 duplex que oferecia condições ímpares quer relativamente ao próprio produto em si, quer pela possibilidade de rendimento garantido de 6% associado à compra desses apartamentos.

Foi um enorme sucesso. Todas as unidades foram vendidas em planta. Prevemos a conclusão da obra durante o mês de Julho deste ano.

O nosso actual projecto, o SkyCity, é um empreendimento de luxo com preços muito competitivos na Serra de Carnaxide. Este é um projecto em parceria com o banco Montepio e está a ser um sucesso estrondoso. Temos 49 moradias isoladas, 66 em banda e 255 apartamentos.

É um projecto que está a exceder todas as nossas expectativas pois já vendemos 70% das moradias em planta, lançamos os primeiros 10 lotes com 50 apartamentos que vendemos numa semana e cerca de um mês depois lançamos mais 10 lotes com 50 apartamentos em que voltamos a repetir esse sucesso.

Vamos fazer o lançamento oficial do SkyCity no próximo dia 23 de Maio e ainda este mês daremos início aos trabalhos na urbanização. Vamos lançar brevemente mais 50 apartamentos para venda. Tipologias entre T2 e T5.

Os preços altamente competitivos, as condições únicas de aquisição e uma envolvente que contempla rio e serra, fizeram do SkyCity um enorme sucesso.

Qual o investimento total já concretizado? E o que esperam ainda realizar este ano?

Os nossos projectos ainda estão a decorrer, e pela sua dimensão, sobretudo o SkyCity, são investimentos a médio e longo prazo. Entre o projecto do LuxResidence e o SkyCity contamos, em conjunto com os nossos parceiros de negócio, ultrapassar os 60 milhões de euros de investimento até ao final de 2019.

Iniciaram com a reabilitação e agora entraram na construção nova?

Iniciamos com a reabilitação por ser um projecto mais pequeno e para ir de encontro ao que o mercado pedia. Pequenos investidores que procuravam investimentos com rentabilidade garantida.

Passamos para a estratégia de iniciar um projecto de obra nova, uma vez mais para satisfazer as necessidades do mercado.

Com a crescente procura por parte dos clientes estrangeiros, os preços por m2 praticados no centro de Lisboa atingem já, com facilidade, preços muito superiores a 5000 euros/m2. Preços esses difíceis de acompanhar por grande parte das famílias portuguesas.

O SkyCity vem dar resposta sobretudo aos clientes portugueses, famílias de classe média e média/alta, que procuram moradias e apartamentos com boas áreas, boa construção, acabamentos de luxo,  zonas envolventes agradáveis, piscina, garagem e a pertíssimo do centro de Lisboa, mas a preços muito competitivos.

Além deste conjunto de condições atractivas, a parceria com o Banco Montepio, também lhes proporciona condições especiais de financiamento muito competitivas.

O que diferencia a JPS Group no mercado imobiliário?

Os nossos projectos são únicos e têm preços muito competitivos.

A acrescer a estes factos, temos uma equipa própria multidisciplinar que conta com 15 excelentes profissionais de grande experiência. Temos departamentos permanentes de arquitectura, engenharia, marketing, jurídico e comercial. Uma equipa dinâmica que oferece confiança aos nossos clientes.

A JPS Group quer diferenciar-se das outras promotoras sobretudo através da nossa política de proximidade com o cliente. Os projectos são pensados para o cliente e com o cliente. Como vendemos os projectos ainda em planta, é importante que os clientes possam participar activamente e que nos ajudem a ir de encontro às suas expectativas.

As nossas políticas de transparência são também um aspecto fundamental na nossa forma de actuar no mercado. Além das nossas comunicações constantes através das redes sociais, vamos mais uma vez  inovar e criar um canal youtube com filmagens actualizadas da evolução da obra.

Mais uma vez a preocupação com a transparência e compromisso com os nossos clientes.

Também as nossas parcerias sólidas, sobretudo a nível da banca, são um aspecto importante na confiança necessária, sobretudo quando falamos de venda de produtos ainda em planta.

Quais as maiores dificuldades sentidas na promoção?

As características únicas dos nossos produtos, assim como as nossas acções de marketing, têm feito com que a procura tenha sido maior do que a oferta. Felizmente não podemos falar em grandes dificuldades de promoção.

Obviamente que projectos de grande dimensão, como é o caso do SkyCity, sofrem por vezes alguns atrasos pré-construção inerentes à complexidade desses processos, o que por vezes provoca alguma ansiedade nos clientes que querem ver a obra a começar, e são por vezes essas as dificuldades com que nos deparamos, no entanto ainda durante este mês de Maio daremos início aos trabalhos na urbanização e como tal estamos muito satisfeitos por podermos começar já em breve o processo de edificação.

Portugal está no topo internacional como um dos melhores destinos para  investir no imobiliário. De que forma o grupo e o país podem aproveitar este momento?

O LuxResidence já se encontra totalmente vendido. O SkyCity está nitidamente mais dirigido para as famílias portuguesas. Temos tido, no entanto, procura por parte de grupos económicos portugueses e estrangeiros interessados em investir em lotes inteiros para poderem vender os apartamentos no final da construção visto as margens previstas de lucro nessa fase rondarem os 30%. Estamos em fase de avaliação destas propostas.

Quanto ao país, é importante que se mantenham, e possam ser melhoradas, as políticas de incentivo ao investimento estrangeiro. Os processos dos Vistos Gold, por exemplo, encontram-se com enormes atrasos e seria importante tentar agilizar esses mesmos processos para continuar a incentivar os investidores nacionais (que desenvolvem projectos com vista aos clientes finais que procuram os Vistos Gold) e os investidores estrangeiros que compram edifícios sobretudo no centro histórico ,de grandes dimensões e elevado valor, com esse mesmo intuito.

Como vê o mercado imobiliário nos próximos anos?

Todos os indicadores apontam para uma continuação de crescimento de mercado, até porque uma grande parte das transacções efectuadas em Portugal, sobretudo na área da Grande Lisboa e do Porto, são efectuadas sem recurso à banca. Existem de facto muitos investidores estrangeiros e bastantes portugueses que compram os imóveis a pronto pagamento o que contribui para a estabilidade do mercado diminuindo em muito o risco da tão temida "bolha imobiliária" e diminuido o risco de situações passadas.

O crescimento tem sido sustentável e creio que vai continuar a sê-lo.

Por exemplo, ainda recentemente o Luís Lima, presidente  da Associação dos Profissionais de Empresas de Mediação imobiliária (APEMIP) divulgou que antecipa um crescimento de 30% no mercado Imobiliário em 2017.

Portugal está "na moda" e comparativamente com outros países europeus ainda apresenta preços muito competitivos, quer a nível do imobiliário, quer a nível hoteleiro, quer mesmo quando falamos no custo de vida em geral. A beleza do país, a segurança, a boa gastronomia, o clima e a simpatia com que os portugueses recebem os estrangeiros, contribuem em muito para esse sucesso que tem sido crescente.

Quanto a nós, queremos continuar a aproveitar esta fase positiva do mercado imobiliário seguindo sempre a nossa política de colocar as necessidades do mercado e a proximidade aos clientes como prioridade.

Temos já em análise novas propostas que estamos certos serão novos sucessos JPS Group.