O mercado encontra-se numa fase de maturação

22 de Março de 2018

Como foi noticiado a Immochan adquiriu o Forum Montijo, o Forum Sintra e o Sintra Retail Park, numa das “maiores operações financeiras” realizadas no sector em Portugal nos últimos tempos. Falamos num investimento na ordem dos 411 milhões de euros e em mais dois ou três, para reformular os novos activos, de acordo com a estratégia traçada para 2030 pelo grupo francês.

Mário Costa, diretor-geral da da Immochan Portugal, em entrevista ao Diário Imobiliário, revela que nosso mercado encontra-se numa fase de maturidade e a saturação existente abriu espaço a soluções de crescimento. No entanto, acredita que haverá uma desaceleração de crescimento da economia mantendo-se um nível de desenvolvimento regular.

A que se deve este reforço no investimento em Portugal com a aquisição destes centros comerciais?

A Immochan, enquanto empresa activa, dinâmica e em franco crescimento, tem no seu horizonte estratégico a criação de projectos de raiz na esfera do retalho de imobiliário, mas também noutros segmentos do imobiliário. Tal como se sucedeu em Portugal, a Immochan está atenta a todas as oportunidades de crescimento, nos 13 países onde está presente, não descartando a possibilidade de aquisições às quais consiga acrescentar valor e sejam activos estratégicos no âmbito da visão da empresa.

Foi a necessidade de acelerar o crescimento do grupo em Portugal, tendo em conta a estratégia traçada para 2030, que levou à aquisição de três activos: Forum Montijo, Forum Sintra e Sintra Retail Park.

Estas aquisições representam o dinamismo da Immochan, onde se inclui Portugal. O nosso mercado encontra-se numa fase de maturidade e a saturação existente abriu espaço a soluções de crescimento através de aquisições de espaços comerciais já implementados. Todo este desenvolvimento é sustentado pelo expertise internacional e das nossas equipas locais.

Quais os objectivos e desafios do Grupo para o mercado português?

Estas três aquisições permitem-nos solidificar a nossa posição no mercado e colocar em prática todo o nosso know-how e expertise para valorizar e inovar estes activos, tornando-os em “living centres” com o selo de valor acrescentado Immochan.

No total, estes três centros comerciais representam mais de 130 mil m2 de ABL e registam um tráfego de cerca de 19,5 milhões de visitantes por ano, o que permitirá à Immochan Portugal alcançar 37 milhões de visitas anuais na Grande Lisboa. Consequentemente, o nosso portefólio de insígnias vai aumentar com 114 novas marcas, 306 novas lojas.

Através deste processo de compra, vamos impulsionar o nosso crescimento e ascender ao segundo lugar no ranking nacional das empresas proprietárias e gestoras de centros comerciais de média e grande dimensão, tendo agora 200 mil m2 de ABL.

Portugal está a atravessar um momento muito atractivo para os investidores internacionais. A compra destes activos é para longo prazo ou têm alguma estratégia definida para o futuro? Estão previstas mais aquisições?

Este investimento da Immochan é o reflexo do outlook positivo do nosso país. Os indicadores económicos da região de Lisboa estão em crescimento há vários anos e as oportunidades de investimentos, quer devido ao turismo, quer devido a uma nova projecção de Portugal no mundo, tornaram Lisboa um destino de investimento promissor. Sente-se uma movimentação económica mais sólida e uma confiança que alicerça a tomada de decisões ao nível dos investimentos.

No entanto, no nosso país, não estão previstas novas aquisições de centros comerciais já em operação nem a alienação destes três activos. A nossa estratégia passa por desenvolver, promover e gerir a longo prazo.

Estão previstas inovações para estes activos?

Na Visão Immochan 2030 temos a ambição de criar espaços vivos e multiusos onde a vida dos nossos clientes se torna mais especial e se tecem ligações emotivas.

Neste âmbito, a empresa pretende valorizar nos seus activos o conceito “meeting territory needs”, gerando proximidade com as entidades públicas e/ou privadas que representam e ocupam o território onde se inserem. Paralelamente, aposta na diversificação das experiências e vivências que elevam os seus espaços a um conceito de “living centres”.

A Immochan traz consigo uma nova forma de viver os espaços, onde se estimula a criatividade, a cultura, o lazer, o entretenimento e também muito importante o cruzar das multifunções de um espaço com as novas tendências de comportamento, e respectiva relação e emoção. Também a digitalização e novos serviços serão uma das grandes apostas, seguindo o caminho que a Immochan já tem vindo a percorrer noutros dos seus espaços.

Consequentemente, todos os investimentos a realizar a partir de agora nestes três centros comerciais serão no sentido de aproximá-los da identidade da Immochan e dos seus padrões de qualidade. Por isso, estamos totalmente focados na criação de valor para estes novos activos.

Como vê o futuro do retalho em Portugal?

O futuro passa por associar o retalho às novas tendências de comportamentos de consumo. O mercado encontra-se numa fase de maturação. Há que inovar, reinventar e desafiar padrões de consumo e formas de trabalhar, gerando-se novas experiências.

Com este cenário, é fundamental desenvolver projectos inovadores e ir para além do convencional, e é nisto que focamos a nossa ambição. A nossa visão actual reflecte a nossa aposta na diversificação com negócios inovadores. Queremos posicionar-nos como um Global Urban Player, tendo para isso definido como eixos a diversificação e a inteligência colectiva, com o objectivo de criar espaços de vivências urbanas multifuncionais que respondam à tendência de networking social já em curso.

Acredita que este dinamismo da economia e do mercado vão continuar?

Acredito que haverá uma desaceleração de crescimento mantendo-se um nível de desenvolvimento regular.

* A Immochan — empresa da Auchan Holding detida pela macro-cadeia económica de origem francesa Associação Familiar Mulliez (AFM) — conta com mais de 40 anos de experiência no setor imobiliário, sendo hoje uma das principais empresas de imobiliário em centros comerciais, e está presente em 13 países na Europa e Ásia.

A empresa gere, em todo o mundo, mais de 400 centros comerciais que representam mais de 4 milhões de m2 de área bruta locável (ABL) e cerca de 7.5 mil milhões de euros em ativos.

Em Portugal — A Immochan está presente em 11 municípios. Gere mais de 200 mil m2 de ABL, distribuídos por mais de 700 lojas e quiosques em centros comerciais. Do seu portefólio fazem parte as Galerias Comerciais Jumbo localizadas em Alverca, Canidelo, Cascais, Famalicão, Maia, Santo Tirso e Sintra; os Centros Comerciais Alegro em Alfragide, Castelo Branco e Setúbal; e Forum Montijo, Forum Sintra e Sintra Retail Park.