CONSTRUÍMOS
NOTÍCIA
sexta-feira, 14 de agosto de 2020
Entrevistas
Investidores suíços querem investir 50 milhões de euros em imobiliário português moi ambassadeur bande rouge1 (1).jpg moi aicc1 (1).jpg Investidores suíços querem investir 50 milhões de euros em imobiliário português

Investidores suíços querem investir 50 milhões de euros em imobiliário português

3 de julho de 2020

Banqueiros, gestores de fortunas, advogados, fiduciários, empresas multissetoriais, bem como alguns particulares suiços querem investir em imobiliário português. Portugal é um destino de excelência para os investidores suíços, garante Marina Prévost-Mürier, presidente da Câmara de Comércio, Indústria e Serviços Suiça-Portugal - CCISSP.

E é já em Setembro que se irá realizar o 1.º Salão do Imobiliário, Investimento e Turismo Português na Suíça, organizado pela CCISSP, com sede em Genebra e que decorre nesta mesma cidade, entre os dias dias 18 e 19, no Centro de Congressos Palexpo. Um evento que  conta com o apoio do International  Club of Portugal, a APPII – Associação Portuguesa de Promotores e Investidores Imobiliário e a SBE, sendo o Diário Imobiliário Media Partner.

Marina Prévost-Mürier, em entrevista ao Diário Imobiliário revela que o interesse do investidor suiço por imobiliário português é muito grande e que não desistiu de Portugal após o Covid-19, bem pelo contrário. Em Julho, um grupo de grupo de investidores suiços vêm em viagem a Portugal com o intuito de investir 50 milhões de euros no nosso país.

Sobre o 1.º Salão do Imobiliário, Investimento e Turismo Português na Suíça, a responsável garante que é a oportunidade dos portugueses estabelecerem contactos directos com um público profissional de negócios internacionais e potenciais investidores.

“Mesmo perante uma situação de pandemia mundial e com muitos dos eventos internacionais a serem cancelados ou adiados, como explica a realização do 1.º Salão do Imobiliário, Investimento e Turismo Português na Suíça?”

No contexto actual, a Suíça continua a ser o país do continente europeu com mais potencial e mais reservas para recuperar da crise económica provocada pelo Covid-19. Por outro lado, o governo suíço tomou medidas para uma recuperação gradual da economia. Os suíços continuam a investir!

É verdade que alguns organizadores decidiram cancelar os seus eventos agendados para o ano 2020, em vez de os adiar. Em contrapartida, muitos outros optaram por transferir os seus salões para a segunda metade de 2020, a partir de Setembro.

No que se refere ao Salão do Imobiliário, Investimento e Turismo Português na Suíça, as datas foram definidas, há quase um ano, para os dias 18 e 19 de setembro de 2020 e, desde o início da pandemia, temos vindo a acompanhar de muito perto a evolução da crise sanitária na Suíça.

Apesar de vivermos momentos mundialmente críticos, a CCISSP decidiu manter as datas estipuladas, porque acredita que este momento, se bem aproveitado, será uma alavanca para o relançamento destes setores da economia portuguesa num mercado de excelência, com elevado poder económico. De facto, enquanto Câmara de Comércio e enquanto organizadores consideramos ter uma responsabilidade acrescida neste contexto de crise, pois vivemos momentos mundialmente críticos e, por isso, queremos contribuir frutuosamente, através deste Salão, para a retoma económica.

Registe-se ainda o facto de que importantes eventos da Suíça Romanda foram adiados para Setembro, realizando-se nas mesmas datas e nas mesmas alas do Centro de Congressos Palexpo de Genebra (designadamente, o Salão EPHG Mecânica de Precisão e Alta Relojoaria, a 48ª Edição do Salão Internacional das Invenções, o Salão Internacional do Clima, etc.), proporcionando-nos, assim, a oportunidade de conviver com um público mais diversificado que não deixará, decerto, de estender a sua curiosidade ao Salão do Imobiliário, Investimento e Turismo Português na Suíça.

Este ano, a CCISSP ocupa o lugar de Vice-Presidente da AICC (Association of International Chambers of Commerce), pelo que decidiu, como entidade organizadora, convidar a participar no SIIT todas as Câmaras de Comércio membros (EUA, Rússia, Brasil, Canadá, França, Suécia, Emirados Árabes, Turquia, etc.), cujas sedes se encontrem em Genebra, permitindo, assim, aos expositores desenvolver contactos com potencias investidores internacionais.

Consideramos que tal constitui uma mais-valia para os expositores que irão participar neste Salão, já que terão a oportunidade de estabelecer contactos diretos com um público profissional de negócios internacionais e potenciais investidores.

Em suma, temos verificado que os Suíços, apesar da situação global, continuam a mostrar interesse em investir em Portugal. Por conseguinte, vamos levar a cabo este nosso projecto, divulgando empresas talentosas que pretendam internacionalizar-se.

Este Salão, que é muito aguardado pelo público suíço, terá, certamente, uma importância significativa na internacionalização de empresas do ramo imobiliário, da construção, da consultoria, da banca, da arquitetura, do turismo, na promoção das regiões, etc.

A CCISSP decidiu facilitar a vinda dos expositores que desejam posicionar-se num mercado privilegiado, propondo-lhes um stand equipado com a sua identidade publicitária num suporte vertical, sem custos adicionais, de modo a que não precisem de cumprir as formalidades alfandegárias para a entrada num país fora da EU. Assim, o custo de um stand equipado de 9 m 2 é de 3000+180 de despesas de dossiê, acrescidos de IVA.

Assim, confirmamos que mantemos as datas do Salão, a menos que o Estado Suíço proíba a sua realização devido a um eventual novo surto de COVID-19. Neste caso, garantimos, porém, que os expositores que já tenham efectuado a sua inscrição não correrão quaisquer riscos, uma vez que a sua participação será transferida para a próxima edição do Salão, ou seja, em 2021.

Esperamos, sinceramente, que tal se possa realizar para que os nossos expositores não tenham que esperar até ao próximo ano para desfrutarem da oportunidade de promoverem as suas empresas na Suíça.

De salientar, contudo, que os organizadores garantem o respeito das normas de higiene em vigor no que diz respeito à Covid-19.

Relembramos, por fim, que a Suíça é o segundo país que envia mais remessas para Portugal, apesar de ser um pequeno país, com apenas 270 000 imigrantes portugueses.

Os suíços têm interesse em investir em Portugal?

A CCISSP, entidade organizadora, tem verificado que os Suíços não desistiram de Portugal após a Covid-19, bem pelo contrário; por isso, está a organizar para este mês de Julho, a viagem a Portugal de um grupo de investidores que pretendem investir 50 milhões de euros no nosso país.

Qual o perfil do investidor suíço que aposta no mercado português?

O perfil do investidor suíço face à Câmara de Comércio, Indústria e Serviços Suiça-Portugal, com sede em Genebra, é principalmente o de banqueiros, gestores de fortunas, advogados, fiduciários, empresas multissetoriais, bem como o de alguns particulares (de registar que os residentes suíços possuem um dos maiores poderes de compra da Europa; a título indicativo, o preço médio de um apartamento em Genebra é superior a 1 milhão de euros).

Há também lusodescendentes, de dupla nacionalidade, bem como membros da Diáspora Portuguesa.

Deste modo, estamos mais do que convencidos de que Portugal é um destino de excelência para os investidores suíços. É por este motivo que seria impensável perder uma tal oportunidade de reunir os expositores do Salão, os quais irão propor investimentos concretos, com investidores suíços interessados em Portugal.

Como tem sido a adesão dos portugueses ao 1º salão do Imobiliário, Investimento e Turismo Português na Suíça?

Em Dezembro de 2019, já tínhamos convidado personalidades políticas e públicas, bem como o Senhor Embaixador de Portugal em Berna e os dois Cônsules na Suíça.

Em Janeiro de 2020 iniciámos a promoção activa do evento.

Em Fevereiro, já tínhamos preenchido quase metade do Salão com inscrições definitivas e já possuíamos os nossos primeiros patrocinadores e oradores.

A fim de responder aos numerosos telefonemas e e-mails, tivemos mesmo de reforçar a nossa equipa.

Naturalmente, devido ao contexto de crise, em Março e Abril só recebemos pré-inscrições.

Desde o final de Maio, temos notado que, enquanto algumas empresas portuguesas decidiram não fazer mais nada em 2020, outras, em contrapartida, revelam vontade de agir, o que nós encorajamos.

A Suíça está a retomar a passos largos a sua economia e o salão do Imobiliário, Investimento e Turismo Português na Suíça está a ser ansiosamente aguardado por todos.

Quais as vantagens de expor no SIIT-Suíça?

Expor neste Salão é claramente uma oportunidade ímpar de promover e divulgar as empresas portuguesas na suíça e de se posicionar num mercado ainda por explorar, perante um público de profissionais, assim como um público de particulares com alto poder de compra três vezes superior comparativamente com outros países da Europa.

Eis algumas das vantagens:

- Desenvolver contactos durante o Internacional Business Networking, que ocorrerá dia 16 de Setembro, às 17h30, dedicado aos expositores do Salão e aos profissionais suíços;

- Desfrutar da possibilidade de lançamento de empreendimentos e concretização de novas parcerias;

- Apresentar as novas tecnologias, tal como imobiliário interactivo;

- Dar a conhecer os programas de Imobiliário Green;

- Lançar novos empreendimentos ou procurar investimento para start-ups promissoras Incubadoras;

- Apresentar propostas concretas de investimentos de envergadura;

- Promover a oferta imobiliária média/alta e de luxo;

- Divulgar regiões e ofertas turísticas (termas, montanha, enoturismo, natureza, iates, turismo religioso, etc.);

- Dar a conhecer programas e incentivos regionais, captar investimento nas regiões desfavorecidas;

- Promover universidades de ponta para cativar estudantes suíços e lusodescendentes.

Acreditamos na capacidade e competência que cada um tem em contribuir para que este Salão seja um dos momentos de um futuro regenerado e o início de uma nova e sólida abordagem socioeconómica.

A participação de cada um será sinónimo de resiliência, confiança e competência nacional.

Faço minhas as palavras do Professor Doutor António Costa e Silva: “Esta crise vai criar um fosso entre vencedores e perdedores”.

Saiba mais AQUI

PUB
TURISMO
Turismo interno limita quebra de hóspedes a 82% e de dormidas a 85,2% em Junho
14 de agosto de 2020
PUB
ARRENDAMENTO
Câmara de Lisboa abre 2º concurso de Renda Acessível com 30 novas casas
13 de agosto de 2020
PUB
PUB
INTERNACIONAL
França estima impacto no turismo em cerca de 40.000 milhões de euros
10 de agosto de 2020
PUB