Imobiliário português atrai cada vez mais investidores brasileiros

04 de Agosto de 2017

Os brasileiros são os que mais têm investido em imobiliário português nos últimos tempos. A descoberta de Portugal pelos estrangeiros tem aumentado de mês para mês e o conselho é para os promotores portugueses aproveitarem o momento, porque tudo é cíclico e daqui a quatro ou cinco anos talvez os brasileiros já não estejam a investir em força em Portugal.

O conselho parte do presidente da Associação para o Desenvolvimento Imobiliário e Turístico do Brasil – ADIT, Felipe Cavalcante. Em entrevista exclusiva ao Diário Imobiliário, faz uma análise do que os brasileiros procuram no mercado português.

“Verifica-se um grande aumento da procura de imobiliário português pelos brasileiros e os promotores portugueses têm aproveitado esse momento e isso deve-se também em larga medida à situação que o Brasil está a passar nos últimos anos, uma crise económica e política”, refere.

Esta situação está na opinião de Felipe Cavalcante, na origem de um número consideravelmente elevado de pessoas de classe média-alta e alta, “que procuram outros locais para morar e Portugal conseguiu posicionar-se muito bem como alternativa ao destino que sempre foi prioritário para os brasileiros, que é Miami”.

“Portugal tem feito um trabalho muito bom de divulgação aqui no Brasil e os brasileiros em Portugal veem várias qualidades, como a segurança, a língua em comum, as infraestruturas e até em itens como o aproveitamento do exame nacional de ensino médio do Brasil para as universidades portuguesas. De forma, que muitos brasileiros possam ir directos para as universidades em Portugal.

Existe um sentimento de vários brasileiros em morar fora, seja definitivamente ou de forma temporária e esse movimento ainda não chegou ao seu limite, acredito que durante ainda um bom tempo isso vai acontecer”, revela.

Cavalcante assegura no entanto, que é um movimento cíclico. Já aconteceu em outros momentos, os brasileiros virem para Portugal como também há cerca de 10 anos o movimento era inverso, onde os portugueses vinham para o Brasil devido à crise que existia em Portugal e o Brasil estava numa situação boa.

“Agora é o momento dos promotores portugueses aproveitarem essa situação e investirem nesse mercado. Obviamente, outro factor que tem influenciado é a questão do investimento onde se consegue o visto português e as pessoas querem aproveitar isso.

Outro factor que tem ajudado bastante é a constante divulgação de Portugal e de Lisboa em especial, não só como grande destino turístico como também para morar. Existe muita promoção nesse sentido e isso ajuda bastante o imobiliário”.

O presidente da ADIT revela ainda que no Brasil, as perspectivas é de melhoria, “entendemos que já estamos a ultrapassar o pior, a pior parte da crise política já foi superada, quando houve o Impeachment e os brasileiros simplesmente não conseguiam ver o futuro, saber o que iria acontecer, gerava muita insegurança e isso provoca paralisação de investidores e clientes, tanto que grande parte dos desempregados vieram do sector imobiliário. Isso agora começa a mudar, a inverter, os juros estão mais baixos, a tendência para os padrões brasileiros são de ficarem baixos até ao final do ano, a inflação também se encontra num valor muito baixo e a partir de 2018 acreditamos que o rumo do mercado voltará a mudar. É um movimento lento mas constante nos próximos anos. Em função disso, apesar do interesse por Portugal continuar, acredito que daqui a quatro ou cinco anos o principal desse movimento terá passado”, conclui Cavalcante.