CONSTRUÍMOS
NOTÍCIA
sábado, 19 de outubro de 2019
Entrevistas
Saïd Hejal, fundador e sócio gerente da Kronos Homes

Criar casas que sejam um oásis para quem lá vive

14 de agosto de 2018

Já investiu 200 milhões de euros em valor de ativos em Portugal e pretende até ao final deste ano, investir mais 100 milhões de euros. Acabou de chegar ao nosso país, depois de três anos de atividade no mercado espanhol, a Kronos Homes quer conquistar a Península Ibérica. Saïd Hejal, fundador e sócio gerente da Kronos Homes, em entrevista ao Diário Imobiliário, revela que a escolha de Portugal deve-se ao facto de acreditar que o país e o mercado imobiliário “reúnem as condições necessárias para o sucesso da nossa operação”.

O responsável admite que trazem “ uma visão muito diferente da atividade imobiliária, porque conjugamos arquitetura e design em todos os nossos projetos. Trabalhamos com os melhores arquitetos, para que cada projeto seja inovador, autêntico e fuja do convencional”. O fundador e sócio gerente da Kronos Homes explica que a decisão de entrar em Portugal foi estratégica e, por isso, muito ponderada. “Acreditamos que existe no mercado português a necessidade de desenvolver projetos residenciais de raiz com uma forte aposta na arquitetura e design e na qualidade dos mesmos, criando uma pegada sustentável em que a paisagem urbana se integra perfeitamente no ambiente das cidades onde se encontram”, salienta.

A Kronos Homes está focada no desenvolvimento de projetos de residência principal e segunda residência,que reflitam os valores da empresa: design, natureza, ar puro e tranquilidade. “O nosso lema é #PUREDESIGN porque responde à nossa necessidade de criar casas que sejam um oásis para quem lá vive”, salienta. O primeiro projeto da promotora em Portugal será em Palmares, no Algarve. Trata-se de um empreendimento turístico premium, enquadrado na área de segunda residência da Kronos Homes. A primeira fase do projeto será lançada no final deste ano. Destina-se sobretudo a clientes portugueses e internacionais, vindos do Reino Unido, Bélgica, Luxemburgo e Países Baixos. Também até ao final deste ano, a marca prevê apostar em mais dois projetos em Portugal, localizados no Algarve.

Casas para os portugueses

A média do valor das casas Kronos Homes ronda os 300.000 euros mas têm casas entre os 180.000 euros e os dois milhões de euros. “Queremos oferecer projetos premium,o que não significa serem inacessíveis. Queremos fazer casas para os portugueses e não apenas para investidores estrangeiros”, esclarece.

Além do Algarve há outras regiões que interessam à Krono Homes: Lisboa e Porto. O projeto em Palmares,no Algarve, à semelhança dos projetos que têm vindo a desenvolver em Espanha, obedecerá ao claim #PUREDESIGN. “Queremos fazer algo que fuja do convencional. Depois, até ao final deste ano, a Kronos Homes prevê iniciar a comercialização de mais dois projetos em Portugal, localizados no Algarve: os resorts Belmar e Amendoeira. Simultaneamente, estaremos atentos a novas oportunidades”, recorda.

Mercado português é semelhante ao espanhol

Saïd Hejal, adianta ainda que o que se está a passar no setor imobiliário em Portugal é semelhante ao que se vive em Espanha. “Sem dúvida que o setor está a viver uma forte recuperação depois da crise financeira. A procura tem aumentado e a oferta tem estado condicionada pela escassez de imóveis disponíveis, o que tem contribuído para um aumento dos preços”,refere. O responsável admite que este dinamismo é sinal de que o mercado atravessa um bom momento. “A crise que se viveu há muito pouco tempo ensinou lições ao mercado, operadores e reguladores, pelo que não acreditamos que cheguemos ao ponto de uma ‘bolha imobiliária’. E no final do dia, todos precisamos de espaços para viver, trabalhar, e gostaríamos de ter espaços para passar o tempo livre. É isso que está a alimentar o mercado”, conclui.

*Artigo publicado no Jornal Económico no caderno do Diário Imobiliário - Texto escrito com novo acordo ortográfico

PUB
ARRENDAMENTO
Senhorios vão ter aplicação para comunicarem duração da renovação dos contratos
17 de outubro de 2019
PUB
PUB
PUB