CONSTRUÍMOS
NOTÍCIA
quinta-feira, 9 de julho de 2020
Fotografia com Arte
Igreja de Nossa Senhora das Ondas, em Tavira Igreja-Ondas-Tavira-01 - Fotografia JORGE MAIO.png Igreja-Ondas-Tavira-02 - Fotografia JORGE MAIO.png Igreja-Ondas-Tavira-03 - Fotografia JORGE MAIO.png Igreja-Ondas-Tavira-05 - Fotografia JORGE MAIO.png Igreja de Nossa Senhora das Ondas, em Tavira

Igreja de Nossa Senhora das Ondas, em Tavira

9 de setembro de 2019

As mil e tal tábuas do tecto em madeira pintada, os retábulos, os altares, tudo foi retirado da Igreja de Nossa Senhora das Ondas, para ser restaurado com o máximo dos cuidados na Fundação Ricardo Espírito Santo Silva, num trabalho que demorou dois anos.

Depois de recuperado o próprio edifício, estas verdadeiras, e às vezes desconcertantes, obras de arte voltaram ao seu sítio original.

A Igreja de Nossa Senhora das Ondas, em Tavira, mandada edificar na primeira metade do século XVI pela Confraria de São Pedro Gonçalves Telmo (também conhecida como Compromisso Marítimo), é um edifício que reúne em si mesmo memórias de grande importância para a História Religiosa e Local, porquanto é um testemunho vivo da actividade marítima em Tavira, e do grupo social que lhe esteve subjacente - a confraria de pescadores e mareantes.

Os danos causados pelo sismo de 1755 determinaram a reconstrução do templo, confiada à responsabilidade de Diogo Tavares de Ataíde, o mais importante mestre pedreiro da época barroca do Algarve.

Na decoração interior da Igreja de Nossa Senhora das Ondas merece especial destaque a pintura em perspectiva que decora o tecto, considerado como o mais antigo tecto pintado nesta técnica em toda a região algarvia. A restante decoração é composta quase exclusivamente por peças do barroco setecentista.

Texto e fotografias: Jorge Maio

PUB
TURISMO
Portugal entre as sete melhores viagens rodoviárias do mundo
8 de julho de 2020
PUB
ARRENDAMENTO
Finanças quer ver minuta de contrato antes de isentar rendas acessíveis de IRS/IRC
8 de julho de 2020
PUB
PUB
INTERNACIONAL
Investimento imobiliário multifamily europeu deve ultrapassar os 22 mil milhões de euros
7 de julho de 2020
PUB