CONSTRUÍMOS
NOTÍCIA
domingo, 21 de Julho de 2019
Fotografia com Arte
Forte Ponta Bandeira em Lagos - Algarve - Fotografia de Jorge Maio Forte Ponta Bandeira em Lagos - Algarve - Fotografia de Jorge Maio

FOTOGRAFIA com ARTE: Lagos

7 de Janeiro de 2019

Inicialmente Lagos foi ocupada por fenícios e cartagineses. Lacóbriga, foi a denominação da cidade no período romano No século III a.C. já estaria ocupado por exércitos e colonos romanos.

Da ocupação islâmica resta a Capela-mor octogonal da Ermida de S. João Baptista como morabito Islâmico, construído em 1174.

A construção da cerca medieval, ou sua reedificação, terá sido iniciada no reinado de D. Dinis.

Após a conquista de Ceuta, foi a principal base de apoio às operações militares em Marrocos, de captura de escravos na costa de África e de viagens de exploração no Atlântico.

Em meados do século XVI, Lagos era a grande base de apoio aos Descobrimentos, o local de onde partiam as suas principais expedições e onde chegavam muitos dos produtos comercializados.

As muralhas foram construídas para defender a cidade das ameaças exteriores, corsários ingleses, como o Duque de Essex e Francis Drake, e holandeses, que levam a cabo importantes operações militares contra o Algarve.

A muralha de Lagos é uma importante fortificação da arquitectura militar do Renascimento, a maior cintura de muralhas do Algarve.

No seguimento do terramoto, o governador abandona a cidade e Lagos deixa de ser a capital do Algarve.

A partir de meados do século XIX dá-se o ressurgimento de Lagos, impulsionado pela instalação na cidade de muitas indústrias ligadas à salga e conserva de pescado.

Em 1924 as muralhas são classificadas como Monumento Nacional.

Texto e Fotografias: Jorge Maio

PUB
ARRENDAMENTO
Lisboa abre candidaturas ao subsídio de arrendamento
16 de Julho de 2019
PUB
PUB