Ceramista Maria Ana Vasco Costa conquista Londres

09 de Fevereiro de 2018

Três fachadas de edifícios cobertas por azulejos, em Lisboa, foram ontem distinguidas em Londres com os Prémios de Design de Superfícies, incluindo a cobertura ondulante do Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (MAAT), em Lisboa, que recebeu o principal prémio. Todos os trabalhos premiados têm o mesmo autor(a): Maria Ana Vasco Costa.

O MAAT, projectado pelo atelier AL_A, da arquitecta britânica Amanda Levete, inaugurado em Outubro de 2016, foi premiado na categoria de Edifícios Públicos, pela sua cobertura ondulante que, na fachada, tem azulejos tridimensionais brancos produzidos em Espanha, vencendo também o prémio principal, de todas as categorias.

Os dois outros projectos portugueses, de Lisboa, distinguidos na cerimónia de dos "Surface Design Awards" foram uma fachada de um edifício de apartamentos de aluguer, "Friendly Border Apartements", na categoria de Superfícies Comerciais Exteriores, e a fachada de um prédio de habitação, "Presidente Arriaga/Janelas Verdes", perto do Museu Nacional de Arte Antiga, na categoria de Superfícies Exteriores de Habitação.

Embora sejam parte de projectos de diferentes ateliers de arquitectos (GAS2 e STC Arquitectos, respetivamente), os azulejos destas duas fachadas foram criados pela mesma ceramista, Maria Ana Vasco Costa, que já tinha sido distinguida nas duas edições anteriores destes prémios, em 2016 e 2017, mas na categoria de interiores.

 

Valorizar a cerâmica nacional e internacionalizá-la…

 

Para a ceramista portuguesa, o reconhecimento da cerâmica de fachada na capital portuguesa pode estimular ainda mais este tipo de intervenções em construções novas ou em recuperações em Portugal.

"Não conheço mais nenhum país no mundo com tanta cerâmica de fachada. [Portugal] é o país com maior tradição, seja o azulejo pintado, vidrado ou relevado", disse, em Londres, onde esteve para receber o prémio.

Em Lisboa, onde vive, Maria Ana Vasco Costa reconhece estar a assistir a um "'boom' imobiliário" e mostra-se satisfeita por cada vez mais pessoas e arquitectos estarem a dar atenção ao uso de azulejo.

"Fiz a primeira fachada de azulejo em 2014, porque senti que azulejos que estavam a ser usados em fachada e estavam a cair num estilo industrial, enquanto, a mim, me interessava trabalhar com métodos tradicionais, a variação de cor, o 'craquelê'", explicou.

As duas fachadas que criou e que foram hoje premiadas têm azulejos feitos em grés.

A fachada do "Friendly Border Apartments" usa um "um padrão quase a brincar com a Casa dos Bicos, quase uma homenagem", de pirâmides muito salientes, em combinação com azulejos simples, enquanto a fachada do prédio "Presidente Arriaga/Janelas Verdes" tem um padrão mais elaborado, numa área com 200 metros quadrados.

A reacção à geometria dos seus trabalhos é também física e suscita curiosidade, contou a ceramista à Lusa, que gosta de ver as pessoas aproximarem-se e tocarem nos azulejos, encantando-se com as peças e os pormenores.

Este tipo de intervenção, vincou, "traz uma grande responsabilidade [em termos de impacto urbanístico], mas também uma vontade de trazer a arte de volta aos espaços públicos para que os edifícios possam fazer parte de uma dinâmica da cidade interessante".

Os "Surface Design Awards" fazem parte da feira profissional "Surface Design Show", que abriu na terça-feira e encerrou ontem, em Londres, dedicada ao design e materiais para revestimento de paredes interiores e exteriores.

Das 80 inscrições para os prémios, foram selecionados 30 finalistas de dez países diferentes, abrangendo projectos como museus, hotéis, cabanas de praia e universidades.

Na edição deste ano da feira de exposição esteve presente a fábrica Viúva Lamego, que convidou Maria Ana Vasco Costa para artista residente, passando a ter um atelier na fábrica, onde pode desenvolver técnicas, padrões e trabalhos artísticos.

Depois de vários anos a trabalhar com a Amasso Cerâmica e o estúdio Caldas de Rainha, a ceramista vê um grande potencial nesta colaboração com a histórica fábrica de azulejos de Lisboa, que pode ajudar o seu trabalho a ser internacionalizado.

Nascida em Lisboa, Portugal, em 1981, Maria Ana Vasco Costa vive e trabalha em Lisboa. É licenciada em Arquitetura pela Universidade de Lisboa em 2004. Após a licenciatura viveu em Londres onde praticou a arquitectura nos 4 anos seguintes (Nos estúdios de David Adjaye, Terence Conran e Cláudio Silvestrin). Em 2009, regressa a Lisboa e inicia os seus estudos em Cerâmica no Ar.Co - Centro de Arte e Comunicação Visual, que completou em 2012. Em 2014, completou o Projeto Individual em Artes Visuais no Ar.Co - Centro de Arte e Comunicação Visual, Lisboa onde é chefe do Departamento de Cerâmica no Ar.Co.

Lusa/DI

Mais informação em : http://www.surfacedesignshow.com/surface-design-awards