CONSTRUÍMOS
NOTÍCIA
quarta-feira, 22 de janeiro de 2020
Actualidade
Viana do Castelo - Foto CMVC Viana do Castelo - Foto CMVC

Viana do Castelo: Parque da Cidade vai ter habitação de luxo

18 de fevereiro de 2017

O presidente da Câmara de Viana do Castelo anunciou hoje a venda, por um milhão de euros, a um investidor francês, de quatro lotes de terreno do Parque da Cidade para a construção de habitação de luxo.

"O projecto habitacional que me foi apresentado é de muita qualidade e vai valorizar bastante Viana do Castelo. Estamos a falar de quatro edifícios destinados a habitação de segmento médio/alto. O projecto é muito arrojado do ponto de vista ambiental e arquitectónico. Vai ser um empreendimento emblemático para a cidade", explicou o socialista José Maria Costa.

Em causa estão terrenos junto ao rio Lima, intervencionados pela VianaPolis e colocados à venda, em 2006, por 21,6 milhões de euros mas sucessivas hastas públicas não os conseguiram negociar, apesar das várias revisões do preço base.

Em 2013, na última tentativa, o preço base ficou fixado nos 7,5 milhões de euros. Desde então, a venda ficou aberta em contínuo, aguardando por investidores interessados.

Segundo o autarca, que falava no final dos trabalhos da sessão ordinária da Assembleia Municipal, "o contrato de investimento com o investidor francês, e que também envolve promotores locais, foi assinado na sexta-feira".

Com aquele negócio ficam por vender 20 lotes do Parque da Cidade, que no total conta uma extensão de 23 hectares, o maior activo daquela sociedade.

"É muito bom, porque o Parque da Cidade é uma zona de excelência. É uma aposta na qualificação do urbanismo local", referiu.

 

Terrenos no Parque da Cidade por vender

Esta área foi recuperada e infraestruturada pela sociedade VianaPolis, responsável pela execução do programa Polis de Viana do Castelo, detida em 60% pelos ministérios do Ambiente e das Finanças e em 40% pelo município.

Além de habitação, estes terrenos, preveem a instalação de um hotel e de um equipamento social.

Em causa está uma área de 63.199 metros quadrados de terrenos para a construção de habitação de luxo, 1.776 metros quadrados para comércio, 19.526 metros quadrados de estacionamento, além de um lote de 9.496 metros quadrados para construção de um hotel.

 Lusa/DI

PUB
ARRENDAMENTO
Rendas em Lisboa caem pela primeira vez desde 2016, desceram 1,4%
15 de janeiro de 2020
PUB
PUB
PUB