CONSTRUÍMOS
NOTÍCIA
quarta-feira, 20 de novembro de 2019
Reabilitação

Lisboa: Antigo cinema Pathé vai receber um hotel

13 de setembro de 2019

A Câmara de Lisboa aprovou o licenciamento da obra de construção de um hotel na freguesia de Arroios, onde funcionou o antigo cinema Pathé, que encerrou em meados da década de 80.

O projecto foi aprovado com os votos favoráveis apenas do PS. Os socialistas, que não obtiveram maioria absoluta nas últimas eleições autárquicas (2017) e firmaram um acordo de governação do concelho com o BE, conseguiram aprovar esta proposta com a abstenção do PSD, tendo os restantes partidos votado contra (BE, PCP e CDS-PP).

Segundo a proposta, o novo hotel terá capacidade para 67 quartos, prevendo-se a “demolição total da construção existente” e a construção de um edifício com sete pisos e dois pisos em cave.

No local, na Rua Francisco Sanches, chegou a funcionar o cinema “Páthe”, que encerrou em meados da década de 80. Posteriormente, naquele espaço chegou ainda a existir uma discoteca, que acabaria também por fechar.

Actualmente, o edifício onde já funcionou o cinema Pathé encontrava-se devoluto.

Em declarações à agência Lusa após a reunião, o vereador do BE, Manuel Grilo, defendeu o seu voto contra com o facto de “ainda não ter sido distribuído o estudo sobre a capacidade hoteleira da cidade”, acrescentando que o edifício foi representativo daquela época e que agora deixará de haver naquela zona da cidade “qualquer referente relativamente aquilo que foi o passado”.

No mesmo sentido, a eleita do PCP Ana Jara destacou a necessidade do estudo sobre a capacidade turística da capital, considerando também que o edifício “vai ser demolido e poderia ser recuperado”.

Já o vereador do CDS-PP João Gonçalves Pereira argumentou que o projecto prevê a criação de um piso recuado, algo que, segundo os regulamentos municipais aprovados, só pode acontecer no caso de os prédios confinantes também terem pisos recuados, “o que não é o caso”.

Por outro lado, João Pedro Costa, do PSD, afirmou que o edifício onde funcionava o cinema “está a apodrecer”, não tendo “qualquer viabilidade económica”.

“Se pudesse escolher, preferia habitação, mas hotelaria também é bem-vinda em Lisboa”, disse.

O executivo camarário aprovou também na reunião de hoje um investimento de 1,4 milhão de euros para melhorar as condições de acessibilidade do Bairro das Furnas, com a construção de elevadores.

LUSA/DI

PUB
ARRENDAMENTO
Englobamento obrigatório para rendimentos prediais terá “efeito perverso” no mercado – diz APEMIP
14 de novembro de 2019
PUB
PUB
PUB