Suécia: preços das casas disparam, famílias endividam-se...

08 de Outubro de 2016

O mercado imobiliário sueco tem conhecido nos últimos anos um exponencial aumento do preço das habitações. Segundo o Instituto Nacional de Estatística daquele país escandinavo, desde 2012, o preço das casas aumentou mais de 30%; e, durante o mesmo período, na região da capital, Estocolmo, o aumento foi mesmo superior a 50%, de acordo com a Associação Profissional dos Mediadores Imobiliários.

As famílias suecas estão entre as mais endividadas na Europa. O banco central sueco estima que, em média, as famílias suportam uma dívida de 1,8 vezes o seu rendimento anual e a relação sobe para 3,2 para aquelas que pagam uma hipoteca. Os bancos suecos muito expostos ao crédito residencial começam a ter razões para se preocuparem. O SEB (Skandinaviska Enskilda Banken) estima a dívida total das famílias em 3.600 mil milhões de coroas suecas (mais de 370 mil milhões de euros), o que corresponde a 87% do PIB.

O Governo sueco também dá mostras de inquietação: “"Não vamos aceitar uma acumulação contínua do endividamento das famílias suecas, que poderia representar riscos para a estabilidade financeira", afirmou Per Bolund, ministros das Finanças da Suécia.

Um das medidas já tomadas pelas autoridades foi a proibição, em Março passado, da concessão de créditos para toda a vida, onde o comprador paga apenas os juros sem qualquer amortização do capital. Mas outras medidas poedrão vir a ser decretadas em breve, tal a gravidade da situação.