CONSTRUÍMOS
NOTÍCIA
quarta-feira, 27 de maio de 2020
Internacional
Ilha de Colom em Menorca, no Mediterrãno, à venda por 5,25 M€ Ilha de Colom em Menorca, no Mediterrãno, à venda por 5,25 M€

Ilha em Menorca à venda por 5 milhões de euros

27 de agosto de 2016

Uma ilha privada faz os devaneios do mais céptico dos sonhadores. E se ela se situa no Mediterrâneo, a apenas 200 metros da costa de Menorca e está à venda por apenas 5,25 milhões de euros, pode tornar-se mesmo uma obsessão, já que o devaneio torna-se possível de concretizar.

A ilha de Colom é a maior das ilhotas que rodeiam Menorca, uma das ilhas que integram o arquipélago espanhol das Baleares. Tem uma extensão de 58 hectares, duas belas praias de areia branca - Tamarindos e Arenal d’en Morro — e duas casas num pinhal ajardinado abrigado do vento. A construção da mais antiga das casas remonta ao séc. XVIII: tem dois pisos, seis divisões e 100 m2 de construção; a outra, é uma casa em madeira de 135 m² com dois quartos, cozinha, sala e casa-de-banho. Ambas estão a precisar de profundas obras de reabilitação. Existem ainda outras edificações: um armazém com 30 m2 e um estábulo, que serviam de apoio no tempo em que na ilha existia uma exploração agrícola, e um barracão à beira da praia com 20 m2 para recolha de embarcações. No perímetro da ilha existem dois poços de água doce.

Os restos de uma antiga casa de mineiros, lembra os tempos em que na ilha se procedia à extracção de cobre e chumbo. E outros vestígios arqueológicos e de edificado fazem lembrar que a ilha foi palco de todo um passado com história.

 

O dono da ilha foi Cônsul de Portugal no fim da monarquia

 

A ilha de Colom pertence aos herdeiros de António Roca y Várez, homem de posses de uma família menorquina, escritor e homem de letras, que em 1900 foi nomeado cônsul de Portugal em Menorca. As divergências com os novos governantes saídos da implantação da República em Portugal em 1910 levaram à sua exoneração. Em 1904, António Roca y Várez comprou a ilha por 7.850 pesetas, cerca de 47 euros, mas abandonada a exploração agrícola e a exploração de minério, a propriedade passou a ser o local de veraneio da família.

A ilha foi posta à venda em Espanha e no estrangeiro há uns anos atrás pelos descendentes de António Roca y Várez. Na altura o valor pedido era de 6,5 milhões de euros. Condicionantes várias impediram a concretização da venda a interessados investidores. A ilha integra o parque natural da “Albufera des Grau”, no município de Mahón no norte de Menorca, pelo que a edificação de novos edifícios está em princípio proibida. Por outro lado, as duas belas praias da ilhota pertencem ao domínio público, não podendo os proprietários impedir o acesso elas por parte do público na época de veraneio. Por último, também, não está totalmente esclarecida a posição das autoridades espanholas face ao desejo de um estrangeiro poder comprar uma ilha espanhola. Em casos anteriores passados nas Canárias, as autoridades ameaçaram com a expropriação… São condicionantes que marcam inexoravelmente o desfecho de um possível negócio…

As mediadora responsáveis pela venda da ilha são a Ses Moreres e a Bonnin Sanso, que colocaram um anúncio no portal imobiliário Fotocasa, o qual em pouco tempo se tornou viral. O que prova que o devaneio e o sonho ainda comandam as nossas vidas…

 

Veja o vídeo:

https://youtu.be/4fbpMGtNnNM

PUB
ARRENDAMENTO
Quais as áreas mais apelativas para investir em arrendamento em Lisboa e no Porto?
27 de maio de 2020
PUB
PUB
PUB