Grupo francês Steep Plastique instala-se em Portugal

12 de Julho de 2018

O grupo francês Steep Plastique, especializado na indústria automóvel, instala-se em Portugal, escolhendo o Parque Empresarial de Lanheses, em Viana do Castelo.

A empresa especializada na produção de componentes plásticos para a indústria automóvel, escolheu aquele parque empresarial onde está a crescer um verdadeiro cluster de empresas do setor, que, no conjunto do país, vale 5,9% do PIB, para a construção da sua fábrica. 

Coube à Garcia Garcia, construtora especializada em design and build de edifícios industriais, logísticos, residenciais e comerciais, assinar os projectos de arquitectura e engenharia, assim como a execução do projecto, o qual tem conclusão prevista para o final do mês. 

Esta é a quarta unidade para o sector que a Garcia Garcia concebe e constrói no Parque Empresarial de Lanheses. Nos últimos anos, esteve encarregue dos projectos para BorgWarner, Eurostyle e Bontaz, esta última a inaugurar igualmente no corrente mês.

A nova unidade da Steep Plastique, multinacional francesa com presença em França, Eslováquia, Marrocos, Turquia e, agora, Portugal, irá produzir peças injectadas de plástico para componentes da indústria automóvel, estando a sua produção destinada ao mercado internacional. Fornecedor de primeira linha, a Steep Plastique trabalha directamente para mais de 20 marcas de automóveis.

No arranque, o projecto irá criar cerca de 50 postos de trabalho directos, podendo este número ascender a 200 numa fase de maior maturação do investimento em Portugal. Aliás, com uma área superior a 14.350 m2, a nova unidade está preparada para aumentar no futuro a sua capacidade em mais 6.000 m2.

O projecto prevê duas áreas funcionais: a nave industrial, onde funcionarão, num espaço amplo, com compartimentações pontuais para pequenos gabinetes técnicos e de apoio, a produção, o armazém e a logística; e o bloco administrativo.

A construtora optou por uma solução em betão pré-fabricado com uma malha estrutural, que permite a adoção de quatro pontes rolantes de elevada capacidade a cobrir toda a área de produção e de armazenagem.

Toda a área industrial será integralmente climatizada com recurso a um eficiente sistema de bombas de calor, destacando-se ainda, ao nível das redes de suporte ao fabrico, o sistema de produção e distribuição de água fria, assim como a central e rede de ar comprimido.

As exigências energéticas do edifício e do processo de produção implicaram a adopção de dois transformadores de 800 kVA cada um.