CONSTRUÍMOS
NOTÍCIA
quarta-feira, 24 de fevereiro de 2021
Actualidade
Governo: investir na habitação e diversificar financiamento da SS

Governo: investir na habitação e diversificar financiamento da SS

22 de abril de 2019

O primeiro-ministro defendeu hoje uma “solução dois em um” do fundo imobiliário que vai investir em habitação, incluindo alojamento para estudantes, por disponibilizar um “bem público” e diversificar as fontes de financiamento da segurança social.

António Costa discursou hoje na sessão em que simbolicamente foi entregue a antiga sede do Ministério da Educação, em Lisboa, ao da Habitação e Infraestruturas, que será transformada em residência, a preços controlados, para estudantes do ensino superior.

É uma estratégia “dois em um”, uma “forma de disponibilizar bem público, a habitação, e diversificar as fontes de financiamento da Segurança Social”, afirmou, na apresentação do Plano Nacional de Alojamento para o Ensino Superior (PNAES) que promete, no prazo de 10 anos, duplicar o número de camas a preços acessíveis para estudantes deslocados do ensino superior.

Recuperar as boas ideias e experiências do passado

O chefe do executivo afirmou ser partidário de “recuperar uma boa ideia”, do tempo em que todo o planalto de Alvalade, desde a Praça de Londres à Avenida do Brasil”, resultou “de sucessivas operações de investimento das então Caixas de Previdência” em habitação social.

“O que temos que fazer é recuperar esta boa ideia, evitando a especulação e o congelamento, que destruiria esse investimento na Segurança Social”, disse.

Este fundo, gerido pelos Ministérios da Habitação e das Infraestruturas e das Finanças, afirmou, que tem que ter uma “renda mínima de 4% ao ano”, é “uma boa forma, e inteligente, de simultaneamente mobilizar capital para investir e para “melhorar a rentabilidade dos activos do Estado”.

António Costa recordou, ainda, que a segurança social pública “é sólida” e terminou o ano com 18 mil milhões de euros “nas reservas” do fundo de equilíbrio financeiro.

O plano, já divulgado pelo Governo, tem prevista para uma primeira fase a disponibilização de mais de 12 mil camas em todo o país até 2022, aproveitando edifícios devolutos ou do Estado, espalhados por 42 concelhos.

Lusa/DI

PUB
TURISMO
Agências de Viagens e Operadores Turísticos com apoio de 100 milhões de euros
24 de fevereiro de 2021
ARRENDAMENTO
Proprietários receiam que incumprimento de rendas vá aumentar este ano
17 de fevereiro de 2021
PUB
PUB
INTERNACIONAL
FIFA world Cup Qatar 2022: construção de 7 estádios já levou à morte de mais de 6.500 trabalhadores migrantes
24 de fevereiro de 2021
PUB