Câmara de Oeiras vai recuperar parte do Palácio Restani

09 de Fevereiro de 2019

Oeiras vai iniciar “ainda durante este ano” uma intervenção no terreno do Palácio Restani, ou também conhecida por Quinta do Raio, em Queluz de Baixo, no distrito de Lisboa, ficando para “2020 ou 2021" a recuperação da fachada do edifício, afirmou hoje Isaltino Morais.

De acordo com o presidente da Câmara de Oeiras, “já só resta a parede principal do edifício” na sequência de um processo longo de “abandono e tentativa de expropriação”, ao proprietário do edifício, que terminou com a cedência do Palácio Restani ao município.

“A doação foi aceite, neste momento já estamos a fazer um projecto para aquele espaço. Irá nascer ali uma bonita praça e no edifício vai manter-se aquela fachada, eventualmente iremos fazer ali habitação jovem ou equipamento social e isso vai ser junto a uma intervenção que vamos fazer até à rotunda do IC19, porque há ali uma antiga escola onde funciona hoje um espaço jovem”, explicou à agência Lusa o presidente da autarquia, Isaltino Morais.

Segundo o autarca, a avenida será alargada, transformando o jardim que está na frente da antiga escola num espaço público, uma intervenção que será realizada entre a rotunda de acesso ao Itinerário Complementar 19 (IC19) e o Palácio Restani.

“Vamos começar já este ano. Este ano já vai haver alguma obra, não no edifício, mas na praça e no alargamento do espaço da escola, vai avançar ainda este ano, depende agora dos procedimentos. O edifício é que possivelmente só em 2020, 2021, é preciso fazer projecto de execução, concurso público, etc”, clarificou Isaltino Morais.

De acordo com a autarquia, a Quinta do Raio tem uma área total de terreno de 2.215,48 metros quadrados (m2), sendo que irá ser recuperado o imóvel, com 856,98m2, e o estacionamento e jardim, com 1.358,50m2.

Lusa/DI