CONSTRUÍMOS
NOTÍCIA
segunda-feira, 18 de novembro de 2019
Actualidade

Lisboa no 10º lugar como destino europeu de investimento imobiliário para 2020

8 de novembro de 2019

Lisboa foi destronada do primeiro lugar do ranking europeu de destino de investimento imobiliário para 2020. Paris conquista a liderança no Tendências Emergentes no Mercado Imobiliário da ULI / PwC ®Europa 2020.

Os líderes imobiliários da Europa continuam a acreditar no sector imobiliário como uma classe de investimento atraente e de grande procura, apesar dos fortes ventos políticos e económicos, de acordo com o último relatório Emerging Trends in Real Estate ®  Europe 2020.

Paris lidera a lista como a favorita geral das perspectivas em 2020, seguida por Berlim e Frankfurt. Londres é apontada como a quarta cidade mais atraente da Europa para investimento imobiliário em 2020, com Manchester, Birmingham e Edimburgo classificados fora dos vinte primeiros.

A logística mais uma vez lidera o ranking do sector em termos de perspectivas de investimento e desenvolvimento.

O relatório, publicado anualmente pelo Urban Land Institute (ULI) e PwC, baseia-se nas opiniões de mais de 900 profissionais do sector imobiliário em toda a Europa, incluindo investidores, promotores, credores e consultores.

O imobiliário europeu continua a ser um bom investimento, sobretudo com a perspectiva das taxas de juros permanecerem baixas por mais tempo e os rendimentos de títulos em muitos países europeus manterem-se em território negativo, assim como a renda imobiliária continuar a seduzir investidores, especialmente em comparação com outras classes de activos. 

O relatório indica ainda as influências que podem surgir nos mercados, nomeadamente as tensões políticas que pode estagnar o crescimento económico, assim como os riscos inerentes a um mercado de final de ciclo em que os valores estão acima dos níveis históricos, com os participantes do mercado mais cuidadosos na forma como distribuem capital com foco nas cidades que oferecer liquidez e estabilidade. 

Na opinião de Lisette van Doorn, CEO da ULI Europe, “a procura por renda estável e segura explica o forte interesse e contínuo dos investidores que continuam a alocar grandes quantidades de capital ao sector imobiliário, especialmente em comparação com outras classes de activos. Ao mesmo tempo, a entrada para a nova década é marcada por muitos mais participantes do mercado que pensam estrategicamente sobre o cenário maior de investimentos em que o uso misto, mobilidade inteligente, densidade e maior uso de tecnologia são parte integrante do sucesso dos locais em que investem”.

Já Gareth Lewis, director da PwC Real Estate, avança que “apesar de um cenário de incerteza, efeito Brexit e aumento dos custos de construção, ainda prevemos um mercado activo em 2020. Os investidores estão claramente a consolar-se com a decisão dos bancos centrais manterem ou reduzirem as taxas de juros - uma mudança significativa no sentimento em relação ao ano passado. O relatório é provavelmente o maior factor que apoia os níveis relativos de optimismo que surgiram nas entrevistas deste ano".

Em termos de sectores, a logística mais uma vez lidera o ranking das Tendências Emergentes deste ano para perspectivas de investimento e desenvolvimento, impulsionadas por um aumento contínuo nas vendas no retalho online. O sector ainda vê dificuldades na oferta para acompanhar as mudanças nos padrões de procura do consumidor, com bastante espaço para crescimento do comércio electrónico na Europa continental.

Quanto a outros sectores em que o capital está a fluir, o residencial domina mais uma vez as classificações de investimento, ocupando seis dos dez principais slots. Muitos subsectores relacionados com o residencial, como as residências seniores ou assistidas, coliving, residências de estudantes, casas inteligentes e imóveis residenciais para arrendamento são operacionalmente mais complexos, mas são vistos como sustentados por uma forte procura demográfica. 

O ranking das cidades no relatório deste ano reflecte a cautela e as oportunidades que impulsionam o mercado, com foco nas cidades que se acredita oferecerem liquidez e estabilidade. Paris está no topo da lista como a favorita geral para as perspectivas em 2020, com investidores a antecipar benefícios indirectos do Brexit, dos Jogos Olímpicos de 2024 e, especialmente, do projecto Grand Paris.

Todas as cidades alemãs Berlim, Frankfurt, Munique e Hamburgo, figuram no top 10. Os fundamentos desses mercados são considerados "bastante saudáveis", superando as preocupações com a economia da Alemanha. 

Cidades europeias - perspectivas gerais para 2020

Classificação geralCidade
1Paris
2Berlim
3Frankfurt am Main
4Londres
5Madrid
6Amesterdão
7Munique
8Hamburgo
9Barcelona
10Lisboa
PUB
ARRENDAMENTO
Englobamento obrigatório para rendimentos prediais terá “efeito perverso” no mercado – diz APEMIP
14 de novembro de 2019
PUB
PUB
PUB