CONSTRUÍMOS
NOTÍCIA
segunda-feira, 21 de junho de 2021
Actualidade
Licenciados 6,5 mil edifícios no 1º trimestre. Mais 7% face ao mesmo período de 2020

Licenciados 6,5 mil edifícios no 1º trimestre. Mais 7% face ao mesmo período de 2020

9 de junho de 2021

Os edifícios licenciados em construções novas aumentaram 8,4% enquanto o licenciamento para reabilitação registou um crescimento de 1,5% nos três primeiros meses do ano, face ao mesmo período de 2020, revela hoje o INE - Instituto Nacional de Estatística. 

O relatório do INE indica que os 6,5 mil edifícios licenciados,  além do aumento de 7,0% face ao mesmo período do ano anterior, representou também um crescimento de 1,0% em relação ao 4º trimestre de 2020.

Já os edifícios concluídos decresceram 13,6% (-4,1% no 4º trimestre de 2020), totalizando 3,7 mil edifícios. Comparativamente com o trimestre anterior, o número de edifícios licenciados cresceu 11,6% (-2,4% no 4º trimestre de 2020) e o número de edifícios concluídos aumentou 0,4% (+1,0% no 4º trimestre de 2020).

Numa análise mensal, verifica-se que após os decréscimos homólogos observados em Janeiro e Fevereiro, os edifícios licenciados observaram um crescimento de 43,6% em Março e 64,1% em Abril. Quando comparado com os mesmos meses do ano 2019, este crescimento é também relevante, verificando-se aumentos de 25,9% em Março e 25,7% em Abril.

Com excepção da Região Autónoma dos Açores (-1,3%), todas as regiões do país registaram um crescimento homólogo no licenciamento para construções novas, evidenciando-se a Região Autónoma da Madeira (+27,1%), a Área Metropolitana de Lisboa (+13,3%) e o Norte (+9,5%).

Obras concluídas diminuíram

No 1º trimestre de 2021, o número total de edifícios concluídos (construções novas, ampliações, alterações e reconstruções) diminuiu 13,6% em relação ao 1º trimestre de 2020 (-4,1% no 4º trimestre de 2020). Neste período, estima-se que tenham sido concluídos 3,7 mil edifícios em Portugal, correspondendo, na sua maior parte, a construções novas (80,5%) e que destas, 79,5% tenham tido como destino a habitação familiar.

O INE refere ainda que estima-se que apenas a Região Autónoma dos Açores tenha registado um crescimento homólogo nos edifícios concluídos (+3,7%). Nas demais regiões foram observadas variações homólogas negativas, destacando-se o Algarve (-38,9%), Norte (-15,4%) e Centro (-13,3%). Verificaram-se reduções de 8,1% nas obras concluídas em construções novas e 30,9% nas obras de reabilitação, face ao 1º trimestre de 2020. Em comparação com o trimestre anterior, as variações foram de +0,9% e -1,5%, pela mesma ordem.

A Região Autónoma da Madeira foi a única a apresentar um crescimento homólogo nas obras concluídas em construções novas (+17,2%). Em todas as outras regiões foram observadas variações homólogas negativas neste trimestre, com maior incidência na região do Algarve (-32,9%). As obras concluídas para reabilitação diminuíram 30,9%. Apesar do crescimento verificado na Região Autónoma dos Açores (+28,9%), nas restante regiões verificaram-se reduções, com maior prevalência no Algarve (-48,8%), Área Metropolitana de Lisboa (-41,7%) e Região Autónoma da Madeira (-40,0%).

No 1º trimestre de 2021 foram concluídos 4,8 mil fogos em construções novas para habitação familiar, correspondendo a um acréscimo de 12,3% face ao 1º trimestre de 2020 (+13,0% no 4º trimestre de 2020). Estima-se que este crescimento tenha abrangido as regiões da Área Metropolitana de Lisboa (+30,7%), Norte (+10,7%), Centro (+8,8%) e Algarve (+1,6%). As Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira, tal como o Alentejo, terão observado decréscimos neste indicador: -19,7%, - 16,7% e -11,9%, respectivamente.

As regiões Norte e Centro continuaram a destacar-se no número de edifícios concluídos (63,1% do total) e dos fogos concluídos em construções novas para habitação familiar (57,6%) no 1º trimestre de 2021. A região Norte manteve a predominância nos edifícios e fogos concluídos (37,9% e 40,1%, respectivamente), seguindo-se a região Centro no que diz respeito aos edifícios concluídos (25,1%). A Área Metropolitana de Lisboa seguiu-se à região Norte quanto aos fogos concluídos, com 30,1% dos fogos concluídos em construções novas para habitação familiar a localizaram-se nesta região.

Diminuição de 13,5% na área total construída em Portugal

No 1º trimestre de 2021, verificou-se uma diminuição de 13,5% na área total construída em Portugal, face ao período homólogo. A Região Autónoma dos Açores apresentou a variação positiva mais acentuada neste indicador (+30,7%). Para este crescimento terá contribuído a conclusão efetiva de um hospital no município de Lagoa. Em sentido inverso, destaca-se a região Centro com o decréscimo mais expressivo na área total construída (-30,6%).

PUB
TURISMO
AHRESP pede prorrogação das moratórias bancárias até 31 de Março de 2022
18 de junho de 2021
ARRENDAMENTO
Covid-19: Aprovado prolongamento de apoios às rendas habitacionais e comerciais até fim do ano
16 de junho de 2021
PUB
PUB
INTERNACIONAL
Actriz Margot Robbie coloca casa à venda por 2,83 milhões de euros
16 de junho de 2021
PUB