A nova lei do alojamento local é uma oportunidade

12 de Outubro de 2018

Uma cidade sem moradores não interessa a ninguém. Nem sequer (ou talvez menos ainda) a quem vive do Turismo. Nenhum turista viaja para ver outros turistas. Os viajantes procuram cidades autênticas, que lhe permitam uma imersão cultural. São cada vez mais as pessoas a querer a experiência de stay as a local – ficar como um local. No ano passado, estima-se que houve 208 milhões de viajantes deste tipo, com expectativa de aumentar 5% ao ano. Foi essa procura que fez crescer as plataformas relacionadas com o Alojamento Local, como a Hostmaker.

Encaramos como nossos os desafios que as cidades enfrentam para conseguirem uma gestão sustentável do Turismo. Os intervenientes na gestão do turismo, quer sejam entidades públicas ou empresas privadas, têm que mostrar-se disponíveis para contribuir para o debate e para ajudar a construir soluções. Esta é uma responsabilidade que a Hostmaker tem como prioridade. Defendemos um equilíbrio entre habitantes e visitantes. Queremos prestar os nossos serviços em cidades genuínas. É por isso que consideramos positiva a nova lei do Alojamento Local.

Chegámos ao mercado português em Janeiro de 2018. Lisboa lidera o ranking de crescimento de entre todas as cidades onde estamos. Cresceu mais depressa do que Paris, Roma ou Barcelona. As novas regras, que entram em vigor este mês, não vão fazer-nos abrandar – vão ser uma oportunidade; vão motivar-nos a olhar noutras direcções, a descobrir outras oportunidades de negócio e a trabalhar para desenvolver o Turismo noutras zonas da capital. Os concelhos de Oeiras e Almada, onde a Hostmaker já gere propriedades, poderá haver um aumento de estadias de turistas como fruto desta nova lei, permitindo a Lisboa respirar um pouco e criação de riqueza para os comércios noutras zonas.

Estamos habituados a adaptar o nosso modelo de negócio às exigências legais de cada mercado. Na nossa perspectiva, a regulamentação é positiva também porque incentiva a profissionalização dos serviços. E assim ficamos todos a ganhar: os moradores, as cidades, as empresas e os turistas.

Inês Nobre

General Manager da Hostmaker em Portugal

*Artigo publicado no caderno do Diário Imobiliário, no Jornal Económico