Aumento do preço das casas em Portugal preocupa Bruxelas

19 de Maio de 2017

Onze países registaram uma taxa de crescimento anual igual ou superior a 6%, valor identificado como de "alarme" em Bruxelas, entre eles encontra-se Portugal.

Um estudo divulgado pela Comissão Europeia (CE) revela que o valor do mercado imobiliário em Portugal cresceu 7,1% em 2016. Um aumento, que causou uma subida dos preços do sector em média 6%, o limite a partir do qual a União Europeia (UE) considera para recear um desequilíbrio na economia. Estes dados fizeram soar as campainhas de perigo na UE.

Segundo avança o Jornal de Negócios, Bruxelas analisou a situação económica nacional no início deste ano e mesmo que a dinâmica no mercado imobiliário já fosse bem conhecida, não existiam dados para 2016. 

O Negócios avança que os próximos dias a CE actualizará a sua análise com as previsões económicas que publicou em Maio, os dados do crescimento do primeiro trimestre, e as novas versões do Programa de Estabilidade e do Plano Nacional de Reformas apresentadas pelo Governo em Abril. Nessa altura irão sair novas recomendações ao país, "não sendo certo qual a gravidade que será atribuída ao aquecimento do mercado imobiliário".

O estudo avança ainda que a valorização do sector imobiliário não se verifica só em Portugal. O país está, no entanto, no topo do ranking da Zona Euro: a subida de 7,1% em 2016 é a quarta maior do euro, sendo apenas superada por Malta (9,2%), Letónia (8,8%) e Áustria (8,5%).

Os dados da CE para 2016 mostram que após uma valorização de 15% nos últimos três anos, os preços já estão praticamente ao nível de 2008 (a 0,4% de distância), o ano em que se verificou o pico de preços desde o início do século.

O Diário Imobiliário já tinha avançado com a notícia do estudo da UE: http://www.diarioimobiliario.pt/Habitacao/Preco-das-casas-apresenta-o-maior-aumento-desde-2009

Bem como o acesso ao estudo: http://ec.europa.eu/eurostat/statistics-explained/index.php/Housing_price_statistics_-_house_price_index