Mercado de Arrendamento domina Prémio André Jordan 2018

10 de Dezembro de 2018

O Prémio André Jordan 2018, que vai na 5ª edição, distinguiu três trabalhos cujo tema comum foi o mercado de Arrendamento. João Appleton, Sónia Alves e Karl Benjamin Kraehmerfoi foram os distinguidos.

O júri do Prémio, presidido pelo Professor Augusto Mateus, elegeu como vencedor da edição de 2018, na categoria de Doutoramentos / Artigos Científicos, a tese de Doutoramento de João Appleton, do Instituto Superior Técnico (UTL). Sob o tema “A Avenida Almirante Reis, uma História Construída do Prédio de Rendimento em Lisboa”, o trabalho reflecte sobre o mercado de arrendamento na cidade de Lisboa e lança um olhar retrospectivo sobre a indústria dos prédios de rendimento e o seu processo de desenvolvimento no contexto da cidade, tomando como caso a Avenida Almirante Reis. Por outro lado, estabelece uma relação entre o formato do “prédio de rendimento” e a oferta de habitação para arrendamento, por oposição às fracções de propriedade horizontal, e contextualiza a degradação dos edifícios no centro de Lisboa por via de uma sucessiva descapitalização dos proprietários, fruto do congelamento das rendas. Este estudo propõe também uma reflexão sobre os princípios que deverão estar subjacentes à reabilitação destes edifícios no centro das cidades.

Já a Menção Honrosa deste ano, na categoria Teses de Doutoramento/Artigos Científicos foi atribuída a Sónia Alves, do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa e do Danish Building Research Institute da Aalborg University, em Copenhaga, com o artigo “Poles Apart? A Comparative Study of Housing Policies and Outcomes in Portugal and Denmark”. Este trabalho faz um estudo comparativo das políticas de habitação e dos regimes de propriedade dominantes entre Portugal e a Dinamarca, para demonstrar que o sistema de habitação dinamarquês é a ilustração perfeita de um sistema de arrendamento integrado, mostrando um notável equilíbrio entre os mercados de arrendamento e de compra de casa própria. A tese mostra também que na Dinamarca foi possível conciliar o mercado de arrendamento livre com o de arrendamento “social”, com diferenças apenas marginais entre a qualidade e o valor das rendas do sector de arrendamento com e sem fins lucrativos.

O prémio na categoria de Dissertações de Mestrado foi, este ano, entregue a Karl Benjamin Kraehmer, do Politécnico di Torino, que sob o tema “Gentrification without Gentry? Tourism and Real Estate Investment in Lisbon” faz uma síntese do mercado de alojamento local na cidade de Lisboa e do seu percurso. É a perspectiva de um autor estrangeiro sobre a evolução deste mercado e em que contexto surge – enquanto solução de financiamento da reabilitação e como alternativa aos usos tradicionais dos fogos – fazendo ainda uma leitura histórica das condições que levam ao abandono das cidades e as condições para o regresso da reabilitação. O autor põe ainda em evidência os desafios de assegurar a estabilidade das comunidades que residem à luz da evolução do mercado, os benefícios que a reabilitação traz e o risco de uma certa descaracterização numa nova dinâmica.

Gilberto Jordan, CEO do André Jordan Group e membro do júri, salienta “a importância do envolvimento do meio académico para a pesquisa de realidades para análise do sector profissional público e privado. O que se demonstra é que a reabilitação urbana, associada a um mercado de Arrendamento saudável e justo, pode ser uma excelente oportunidade para o rejuvenescimento e dinâmica das cidades”.

Ricardo Guimarães, Director da Confidencial Imobiliário, entidade organizadora do prémio, destaca “a vertente da ‘pertinência para o mercado’ por parte dos trabalhos premiados”. Já Augusto Mateus, Presidente do Júri do prémio, salienta as “novas dimensões, exigências e âmbitos para as operações de reabilitação urbana”, que se pretendem “muito mais rigorosas e eficazes na articulação entre renovação física e revitalização económica e social”. E aponta como exemplo “o conflito entre a procura doméstica de arrendamento para viver e a procura internacional de alojamento local temporário, que exigem novas formas de regulação pública e de iniciativa privada, uma e outras centradas em regras simples, duradouras e sustentáveis”, conclui.

Este ano recebeu um número recorde de 43 candidaturas. Entre os estudos a concurso, incluíam-se 15 Teses de Doutoramento e outros 15 Artigos Científicos.

Os vencedores recebem um prémio com o valor pecuniário de 7.500 euros para Teses de Doutoramento ou Artigos Científicos, bem como um prémio pecuniário de 1.000 euros para dissertações de Mestrado. Por forma a aproximar os meios técnico, científico e profissional, os trabalhos premiados serão ainda publicados numa edição adaptada para distribuição aos profissionais do mercado Imobiliário.

O empresário luso-brasileiro André Jordan é um dos promotores mais prestigiados de Portugal, tendo iniciado e concretizados alguns dos projectos mais marcantes do país, o pioneiro Quinta do Lago, Vilamoura no Algarve e Belas Clube de Campo.