CONSTRUÍMOS
NOTÍCIA
terça-feira, 18 de Junho de 2019
Entrevistas
José Basílio Simões, líder da Virtual Power Solutions na Península Ibérica José Basílio Simões, líder da Virtual Power Solutions na Península Ibérica

Famílias passam a ser capazes de reduzir a sua pegada ambiental

6 de Novembro de 2015

A eficiência energética está na ordem do dia e as empresas portuguesas acompanham cada vez mais esta tendência. Em meados do mês passado, a portuguesa ISA estabeleceu uma parceria com a inglesa Stor Generation e fundaram a Virtual Power Solutions (VPS), uma empresa que pretende ser um player europeu relevante na área de gestão de redes energéticas (smart grids) e gestão de recursos energéticos e hídricos.

A VPS tem como missão construir e operar VPPs (Virtual Power Plants) à escala europeia iniciando a sua atividade pelo Reino Unido e Península Ibérica onde já conta com mais de 10.000 pontos monitorizados e cerca de 20MW sob gestão.

A Investigação & Desenvolvimento (I&D) é um dos vários pilares-base que permitiram à VPS desenvolver conhecimento e experiência em temas como a Internet das Coisas (IoT), desenvolvendo soluções de hardware e software para o mercado doméstico e empresarial, plataformas de comunicação M2M baseadas na Cloud e serviços móveis para aplicações para as casas e cidades inteligentes, adquirindo e processando diariamente milhões de dados para fornecer aos seus clientes valiosa informação a partir do seu datacenter para todo o mundo.

José Basílio Simões, líder da Virtual Power Solutions na Península Ibérica, em entrevista ao Diário Imobiliário revela a importância da eficiência energética no parque habitacional.

De que forma a Virtual Power Solutions (VPS) vem diferenciar e inovar na eficiência energética do nosso parque habitacional?

O mercado residencial, ao contrário do empresarial, é feito de um conjunto de aspectos muito particulares a começar com a privacidade. Foi a pensar em todos estes aspectos que a VPS, e graças à Investigação & Desenvolvimento (I&D) que representa uma parcela superior a 10% do volume de negócios, desenvolveu o Cloogy. É uma solução de gestão energética que lhe permite monitorizar e controlar o consumo total da sua casa, bem como a energia produzida através do seu sistema de micro-geração. Monitoriza ainda o consumo dos seus equipamentos elétricos de forma individual, permitindo controlar o horário de funcionamento de cada um deles, através das Tomadas Inteligentes. Consegue assim otimizar os seus consumos de eletricidade e gás, acabar com os desperdícios e custos desnecessários e contribuir para uma vida mais sustentável.

A inovação do nosso parque habitacional passará, necessariamente, por informar os consumidores domésticos das vantagens da poupança energética. Contudo, a vertente financeira, apesar de ser muito relevante não está sozinha nesta equação. Através do Cloogy as famílias passam a ser capazes de reduzir a sua pegada ambiental contribuindo desta forma para um planeta mais sustentável que é um dos aspectos mais relevantes e orientadores da actividade da empresa.

Como o irá fazer em termos práticos?

O desenvolvimento do Cloogy passará necessariamente por diferentes etapas. A primeira, e que está sempre em curso, é a criação de novas funcionalidades e aspectos críticos ao funcionamento do mesmo. A título exemplificativo do que temos vindo a trabalhar posso mencionar três aspectos particulares que são a possibilidade de gerir um kit de autoconsumo com acumulação de energia (módulos fotovoltaicos e baterias do tipo Tesla... para se tornar auto-suficiente energeticamente em casa), a integração de um termostato, para poupar no aquecimento (e arrefecimento) da casa e poder controlar a temperatura remotamente ou a integração de um kit de domótica com sensores de presença, abertura de porta/janela, fumo, inundação..., entre outros. Temos contudo levado a cabo outros projectos como o desenvolvimento das soluções de monitorização da produção de energia fotovoltaica para autoconsumo. Esta meta, que resulta de uma solução já criada pela VPS, esperamos conseguir realizar até ao final do primeiro ano de actividade da VPS.

Que público pretende atingir?

A VPS fruto da sua oferta tem três públicos diferenciados e que afecta directamente. Em primeiro lugar as famílias através da sua oferta para o mercado doméstico. Através do Cloogy as famílias passam a poder controlar em tempo real o consumo energético da casa bem como gerir os equipamentos que estão ligados. Em segundo lugar, dentro da sua oferta empresarial, tem dois públicos diferenciados. Os primeiros que vão dos hotéis às grandes empresas, que graças ao Kisense, passam a estar em condições de conhecer os seus consumos em detalhe, eliminar o desperdício e definir os melhores índices de consumo ou poder definir objectivos de poupança e controlar, de forma permanente, os resultados, entre outros aspectos relevantes.

Por fim, e não menos importante, a área de Utilities – ou de serviços públicos – está a ser desenvolvida com o objectivo de captar clientes com tipicamente um site com um número significativo de pontos de monitorização para assim podermos continuar a expandir e desenvolver o Kisense.

O que é necessário fazer para tornar as nossas cidades mais inteligentes e eficientes?

Já existem projectos pioneiros e relevantes com vista a tornar as cidades mais inteligentes e eficientes em Portugal. Verificamos com agrado que cada vez mais autarquias estão cada vez mais a optar pela iluminação LED em detrimento do tradicional halogéneo, por exemplo. Isto é já uma realidade nas principais cidades Portuguesas: Lisboa, Porto, Faro ou Coimbra e representa uma mudança de mentalidade muito importante.

Relativamente a Coimbra, onde temos os escritórios Portugueses, gostaria de partilhar um projecto pioneiro que a VPS está a implementar com a Câmara Municipal de Coimbra e que se baseia na gestão da infra-estrutura eléctrica em Coimbra. Este projecto inovador, que já está a ser implementado através do Kisense, permite monitorizar em tempo-real a iluminação pública da cidade actuando de forma imediata na resolução de problemas relacionados com esta rede ou, simplesmente, na sua gestão.

PUB
ARRENDAMENTO
Porto: Câmara vai construir 170 fogos para classe média em Lordelo do Douro
11 de Junho de 2019
PUB
PUB
PUB