Portugueses distinguidos em prémio internacional de arquitectura

29 de Novembro de 2017

Projectos de Siza Vieira e Souto Moura, João Mendes Ribeiro, Pedro Maurício Borges e Pedro Matos Gameiro encontram-se entre vencedores da 3.ª edição do Prémio Internacional de Arquitetura BigMat'17.

O projecto do Museu Municipal Abade Pedrosa, em Santo Tirso, de Álvaro Siza e Eduardo Souto de Moura, foi distinguido com o Grande Prémio Nacional de Arquitectura, no valor de cinco mil euros, enquanto o Arquipélago - Centro de Artes Contemporâneas, nos Açores, da autoria de João Mendes Ribeiro e do Gabinete Menos é Mais, de Francisco Vieira de Campos e Cristina Guedes, foi premiado na categoria Reabilitação, com um prémio de 1500 euros.

Os projectos Quinta da Tília, nos Açores, por Pedro Maurício Borges, na categoria Arquitectura, e Casa em Alfama, em Lisboa, de Pedro Matos Gameiro - Arquitectos, na categoria Cidade/Paisahem Urbana, estão também entre os portugueses distinguidos com prémios de 1500 euros.

O Grande Prémio Internacional BigMat de Arquitetura 2017, no valor de 30 mil euros, foi atribuído ao edifício do Centro de Arte Contemporânea da Região Norte, em Dunquerque, França, projeto do atelier Lacaton & Vassal, dos arquitetos franceses Anne Lacaton e Jean-Philippe Vassal.

O prémio BigMat'17 visa distinguir a "excelência arquitetónica", tendo por patrocinador o grupo BigMat International, fundado em 1981, com sede no Luxemburgo, e presença em sete países europeus: Bélgica, República Checa, França, Itália, Portugal, Espanha e Eslováquia.

Para esta edição dos prémios estavam igualmente nomeados outros 11 projectos portugueses: o Instituto de Inovação e Investigação em Saúde - I3S, no Porto, de João Pedro Serôdio, a Casa Vermelha, em Vendas de Azeitão, do Extrastudio, o Pavilhão Povera, em Almada, do Atelier João Quintela e Tim Simon, a Sunwheel, no Porto, do Moradavaga, o Espaço 355, em São João da Madeira, do atelier 10Dedosvalentes, a Casa do Rosário, no Porto, do Deparquitectura, o Museu dos Coches, em Lisboa, do gabinete BAK Gordon Arquitectos, e a Casa em Janeanes, Condeixa, do estúdio Branco Del Rio.

Os arquitectos Aires Mateus tinham três projectos a concurso: a sede da EDP, em Lisboa, as Cabanas no Rio, na Comporta, e a Casa no Tempo, em Montemor-o-Novo.

Para esta edição do prémio foram selecionados 87 projetos dos sete países europeus, com representação do grupo.

O júri desta edição dos prémios foi presidido por Jesús Aparicio e composto por Xaveer De Geyter (Bélgica), Henrieta Moravčíková (República Checa + Eslováquia), Marc Barani (França), Francesco Isidori (Itália), Paulo David (Portugal + Espanha) e pelo secretário do prémio, Jesús Donaire.

LUSA/DI