Os Universalistas – 50 anos de arquitectura portuguesa

09 de Abril de 2018

A Casa da Arquitectura, em Matosinhos, inaugura a exposição "Os Universalistas - 50 anos de arquitectura portuguesa" na próxima sexta-feira, dia 13. 

Depois de em 2016 ter estado patente na Cité de l’Architecture et du Patrimoine, em Paris, a mostra será apresentada pela primeira vez em Portugal. A exposição é organizada e produzida pela Casa da Arquitectura e coorganização da Fundação Calouste Gulbenkian e da Cité de l’Architecture et du Patrimoine, a exposição tem o comissariado do arquitecto Nuno Grande.

A conferência de imprensa de apresentação acontece na quarta-feira, dia 11 de Abril, às 15h00. Arranca com uma introdução à mostra pelo director executivo da CA, Nuno Sampaio, e prossegue com a visita guiada pelo curador da exposição, o arquitecto Nuno Grande.

A inauguração oficial está marcada para o dia 13, às 21h00; às 22h00, com o debate “Portugal, um ‘outro’ universalismo”, com testemunho de Eduardo Lourenço e a participação de Alexandre Alves Costa, João Belo Rodeia e Nuno Grande (moderação).

“Esta exposição reveste-se de uma especial importância, sendo a primeira não produzida inteiramente pela CA, que mostra como a arquitectura portuguesa (50 anos) se fez representar no estrangeiro, neste caso na Cité de l’architecture et du patrimoine, entidade congénere francesa da CA”, Nuno Sampaio.

“Abrir aqui uma exposição pensada pela Fundação Gulbenkian e pela Cité é naturalmente uma honra para esta instituição enquanto Centro Português de Arquitectura”, realça o responsável.

A exposição multimédia propõe um olhar sobre meio século de pensamento e produção arquitectónica portuguesa, percorrendo o trabalho de arquitectos de referência como Fernando Távora, Alberto Pessoa, Ruy d’Athouguia, Manuel Tainha, Pancho Guedes, Nuno Teotónio Pereira, Nuno Portas, Álvaro Siza, Alcino Soutinho, Eduardo Souto de Moura, João Luís Carrilho da Graça, Manuel Graça Dias; e também de alguns dos mais promissores arquitetos portugueses das últimas décadas, como Manuel e Francisco Aires Mateus, ARX Portugal, Paulo David, Paula Santos, João Mendes Ribeiro, Cristina Guedes e Francisco Vieira de Campos.

Na exposição misturam-se materiais relativos a 50 projectos – incluindo maquetes, desenhos técnicos e fac-símiles de esquissos ou esboços de arquitetos – com fotografias, textos e caricaturas que reflectem as transformações político-sociais em Portugal, nos últimos 50 anos.