FOTOGRAFIA com ARTE: Convento de S. Pedro de Alcântara

18 de Junho de 2018

Fundado no séc. XVII (lançamento da 1ª pedra em 1680), por D. António Luís de Menezes, 1º marquês de Marialva, para religiosos arrábidos da ordem de S. Francisco, foi destruído quase por completo em 1755 pela terramoto que devastou Lisboa, tendo sido a sua reconstrução iniciada em 1783. A entrada para a Igreja, rasgada sob um pórtico de arcos e galilé, dá acesso simultâneo às Casas do Convento e à Capela dos Lencastres, edificada neste conjunto mais tardiamente, entre 1686 e 1692. A Igreja, de nave única profusamente iluminada por grandes janelões, é predominantemente barroca, traduzindo uma harmoniosa simbiose entre talha dourada e azulejos monocromos setecentistas.

A partir de 1833 o Convento ficou afecto à Misericórdia de Lisboa e em 1943 passou a ser administrado, em acordo de cooperação, pelas Irmãs da Província Portuguesa da Congregação da Apresentação de Maria. Actualmente designa-se por Instituto de S. Pedro de Alcântara. Este imóvel insere-se no tecido consolidado do Bairro Alto, classificado Conjunto de Interesse Público.

Todo o monumento esteve sempre encerrado ao público, mas abriu para visitas em 2014. A igreja e capela têm entrada livre, e para visitar as restantes áreas (sacristia e coro-alto) existem visitas guiadas aos sábados à tarde.

Texto e Fotografias: Jorge Maio