“Um vidro invisível”

03 de Novembro de 2017

As vitrines de vidro do museu protegem artefactos preciosos contra danos ou distúrbios e, em simultâneo, devem apresentar-nos com a sua melhor luz. Mas, por vezes, o vidro – devido a reflexos ou brilhos indesejados – pode criar obstruções inconvenientes para a vista. Aí, a transparência absoluta é o desejo de qualquer expositor. Foi para satisfazer esse anseio que foi criado o vidro anti-reflexo Guardian Clarity™, o "herói invisível" das vitrines de museu.

Segundo o fabricante – a Guardian Glass – a diferença é digna de registo, já que “O vidro Guardian Clarity permite uma transmissão de luz de 98% e um reflexo de menos de 1%, em comparação com o vidro float arquitectónico, que proporciona uma transmissão de luz de 90% e um reflexo de 8%. E em combinação com o substracto de vidro Guardian UltraClear®, o Guardian Clarity proporciona a máxima transparência, reduzindo ao mínimo o reflexo e o brilho indesejados”.

O novo vidro já está a ser utilizado por alguns museus no mundo, é o caso do Musée National d’Histoire et d’Art, no Luxemburgo,  que escolheu o Guardian Clarity para realçar, proteger e preservar mais de 250 itens da sua exposição de Arqueologia Urbana inaugurada em Junho de 2017.

O fabricante sublinha, no entanto, que o novo vidro «invisível» não é um produto exclusivo de museus, podendo ser utilizado em outras situações, como é o caso de boutiques e lojas de alta gama, camarotes de grandes reintos desportivos e, até, em espaços públicos.

O novo vidro, que fará as maravilhas dos curadores e conservadores de arte, pode ser visto no Stand #A080 Hall 03.2 na Exponatec, Feira Comercial Internacional de Conservação e Património dos Museus, que se realiza de 22 a 24 de novembro em Colónia, na Alemanha.