Arquitectura e Economia Circular em debate na Tektónica

14 de Maio de 2018

o Portal da Construção Sustentável (PCS), organiza a primeira Conferência Internacional sobre Arquitetura e Economia Circular em Portugal, que irá decorrer esta semana na Tektónica, no dia 18 de Maio.

Esta conferência tem o apoio do Fundo Ambiental, no âmbito de uma candidatura a projectos de economia circular, e da Quercus, como especialista na área de gestão de resíduos.

Este encontro, de onde farão parte especialistas, que são referências nacionais e internacionais, ligados a uma construção mais sustentável, pretende promover o debate necessário num modelo nunca implementado.

Durante a manhã, numa sessão mais teórica farão parte, entre outros, dois arquitectos de renome internacional; Chris Maurer, americano, que desenvolveu um modelo de reaproveitamento de resíduos de construção e demolição para produção de tijolos aglomerados com matéria orgânica e o espanhol, Albert Cuchi, que dedicou toda a sua vida à investigação científica na área de eco materiais para a construção. A moderar o debate estará o professor Manuel Correia Guedes do IST, doutorado em Arquitetura Sustentável.

De tarde, debater-se-ão em duas mesas redondas, grandes temas da atualidade:

“Sustentabilidade aplicada aos materiais de construção” e “Gestão de resíduos especiais na construção, incluindo o amianto”.

Os painéis estão divididos em diferentes temáticas: a Economia Circular no Sector da Construção; Reduzir, Reciclar, Reutilizar na Arquitectura; Sustentabilidade Aplicada aos Materiais de Construção e Gestão de Resíduos Especiais, Materiais e Equipamentos; Embalagens e Amianto e Alternativas ao Amianto.

Esta conferência contará com a presença do Secretário de Estado do Ambiente, Carlos Martins, assim como de oradores nacionais e internacionais especialistas em arquitectura e construção sustentável como Chris Maurer, arquitecto que trabalha com a NASA, o MIT e a Universidade de Akron para criar o Biocycler, um sistema móvel que recicla materiais de construção em fim de vida e dessa forma ajudar a minimizar a pegada ecológica provocada pelo setor da construção.