Programa Casa Eficiente 2020 será um insucesso

07 de Dezembro de 2018

O Programa Casa Eficiente 2020, que disponibiliza 200 milhões de euros de incentivo para a melhoria da eficiência energética em obras de reabilitação nas habitações, não terá sucesso, na opinião da ANFAJE - Associação Nacional de Fabricantes de Janelas Eficientes, mesmo com a adesão significativa de particulares que solicitam simulações. A razão do insucesso na opinião de ANFAJE é as elevadas taxas de juro dos bancos aderentes. 

O programa financiado pelo BEI - Banco Europeu de Investimento, e lançado e apresentado em Abril deste ano, tem sido muito procurado pelos portugueses, contudo, a associação alerta que apesar da elevada procura, os projectos que se irão concretizar serão mínimos. Isto, porque as taxas de juro definidas e aplicadas pelos bancos aderentes, estão muito próximas ou mesmo superiores às soluções de financiamento de crédito ao consumo.

João Ferreira Gomes, presidente da ANFAJE, revela a sua preocupação enquanto representante do sector quanto à concretização deste programa e alerta para o facto de se rever a estratégia de execução do programa, "nomeadamente a redefinição das bonificações nas taxas de juro". O responsável admite que depois da ANFAJE ter divulgado este programa, sente que os portugueses  Desta forma, estão a ser goradas as expectativas dos portugueses e a defraudar o esforço das empresas. 

A ANFAJE compromete-se a continuar a divulgar e promover o  Programa Casa Eficiente 2020 mas afirma que é necessário rever as taxas de juro, conforme acontece noutros países europeus com programas similares.