CONSTRUÍMOS
NOTÍCIA
terça-feira, 18 de Junho de 2019
Actualidade
Centro Comercial Nova Arcada em Braga que abrirá em 2016 - Imagem 3D Centro Comercial Nova Arcada em Braga que abrirá em 2016 - Imagem 3D

Radiografia do Retalho em Portugal

19 de Fevereiro de 2016

2015 foi um ano positivo para o retalho nacional, com um alargamento do dinamismo da procura a localizações secundárias. O Volume de negócios no sector manteve crescimento e um maior optimismo dos operadores é evidente. As perspetivas futuras são de crescimento da actividade, mas o potencial de subida é agora mais claro nas localizações secundárias.

A estratégia de expansão e de diversificação de conceitos por parte de operadores foi retomada de forma clara por internacionais e nacionais.

O crescimento do Comércio de Rua manteve-se e foi intensificado. Mas também a retoma nos centros comerciais é cada vez mais uma certeza.

O volume de vendas nos centros comerciais mantém tendência positiva iniciada em 2013, com uma média de Janeiro a Setembro na ordem dos 4%. Muito embora o desvio de público para o Comércio de Rua, as vendas nos Centros Comerciais não demonstram esse impacto.

 

Novos espaços

 

Em Braga, o Nova Arcada, promovido pela Sonae Sierra, retoma a construção com inauguração esperada para 2016, disponibilizando 67.500 m2 de Área Bruta Locável (ABL).

No Algarve, o IKEA avança com projecto em Loulé (21.300 m2 Loja IKEA; 45.300 m2  de centro comercial e 23.200 m2 de factory outlet).

Mas também outros projectos ainda no papel começam a ser repensados.

 

Como foram as transacções…

 

Lisboa e Porto registam a maior proporção da procura de espaços de retalho — 47% e 18%, respectivamente. Mas apesar desse facto, ainda assim, 35% dos contratos foram negociados em espaços fora da Grande Lisboa e do Grande Porto.

Os centros comerciais mantém-se de forma clara como o formato preferencial de expansão,

representando 77% das operações estudadas.

O sector mais activo foi o da restauração, representando 29% das operações. A Moda foi o segundo sector mais representativo em termos de procura, com 23%.

A Tiger ou a Burger King lideraram o número de aberturas, mas a dispersão é elevada.

 

Como estão as rendas prime?

 

Centros comerciais: 75 €/m2/mês

Chiado (Lisboa): 97,5 €/m2/mês

Santa Catarina (Porto): 45 €/m2/mês

Retail Parks: 8,5 €/m2/mês

 

Fonte:  Cushman & Wakefield — Marketbeat Primavera 2016

PUB
ARRENDAMENTO
Porto: Câmara vai construir 170 fogos para classe média em Lordelo do Douro
11 de Junho de 2019
PUB
PUB
PUB