70% dos novos escritórios para este ano já estão pré-arrendados

15 de Março de 2019

Como a procura é superior à oferta, 70% da nova área de escritórios que será disponibilizada este ano já se encontra pré-arrendada.

De acordo com o último relatório da consultora JLL, a redução do stock de escritórios e os baixos níveis de nova promoção dos últimos anos, associado à crescente desadequação da área disponível aos requisitos da procura resultou no abrandamento da actividade de ocupação nos dois primeiros meses do ano, período em que se registou um take up de 14.502 m2, ou seja, uma desaceleração de 34% face à atividade registada em igual período do ano anterior, nota a JLL no seu relatório mensal referente a este mercado, o Office Flashpoint.

No entanto, a consultora avança que o mercado não deverá perder ritmo, estando já pré-arrendada perto de 70% da nova área de escritórios que será disponibilizada este ano. Ou seja, dos cerca de 78.000 m2 de escritórios que deverão ficar concluídos e prontos a ocupar em Lisboa ao longo de 2019, 46.000 m2 têm já ocupação garantida e pré-contratada, restando outros 32.000 m2 para colocação no mercado.

"Além dos pré-arrendamentos já concretizados, não temos dúvidas de que os restantes 32.900 m2 serão absorvidos rapidamente, pois além de serem uma oferta nova num mercado com stock em baixa, conjugam os requisitos de qualidade, dimensão e localização que as empresas procuram. Não há dúvida alguma de que continua a existir uma procura latente muito expressiva e que a promoção começa agora a dar resposta com novos investimentos, sendo expectável, tendo em conta o tempo natural de desenvolvimento imobiliário, que uma fatia importante da actividade do mercado de escritórios ao longo deste ano venha por via dos pré-arrendamentos", salienta Mariana Rosa, Diretora de  Office / Logistics Agency and Transaction Manager da JLL. 

De acordo com o Office Flashpoint, no acumulado de Janeiro e Fevereiro de 2019, registaram-se 21 operações, com uma área média de 691 m2. A JLL foi responsável pela colocação de 27% da área ocupada neste período de dois meses.

Em Fevereiro, a ocupação ascendeu a 5.119 m2, com um total de 9 operações e uma área média por transacção de 569 m2. A JLL actuou na maior operação do mês, a única que envolveu uma área superior a 1.000 m2 e que representou quase metade do take up mensal (45%). Trata-se da expansão de área da Everis no Edifício Malhoa 19, situado na zona 3 (Nova Zona de Escritórios). Esta operação projectou a zona 3 e o sector de “Serviços a Empresas” como os mais activos no mês. Depois desta zona (45% do total), as zonas 1 e 2 – respectivamente, Prime CBD e CBD – foram as mais dinâmicas, com 28% e 20% do take up em Fevereiro, enquanto que do lado da procura, além do sector já mencionado (45% do take up), “Consultores e Advogados foi outra área destacada, com 20% da ocupação no mês. 

Na comparação com o mês anterior, o take de Fevereiro recuou 45%, enquanto que face a 2018 encolheu 39%.